As Duas Torres

December 30th, 2002 § 5 comments

Bem, conseguimos ver o filme. Depois de quase uma hora em pé na fila e uma certa dificuldade para conseguir um assento, tivemos as três horas de cenas épicas esperadas. A opinião? Bem, acho que esse vai ser mais um daqueles filmes que eu odiei o mesmo tanto que gostei.

No quesito de imagens, ação e material de Oscar em geral, o filme é arrasador. Da abertura ao fechamento somos presenteados com paisagens belíssimas, cenas de ação espetaculates, um direção perfeita, e um linha de história muito boa.

O problema mesmo fica por conta das liberdades tomadas com os livros. Como um amigo comentou, o Tolkien deve estar se revirando no túmulo uma hora dessa. E o pior de tudo é que algumas dessas modificações são gratuitas, sem a menor razão de ser. Não dá nem para dizer que é por causa do limite de tempo já que, na maioria dessas modificações, seria perfeitamente possível seguir o filme, com os cortes normais.

Gostei:

  • Dos efeitos especiais. As cenas de batalham foram simplesmente incríveis. O exército de 10 mil orcs ficou perfeito. Impossível dizer que foram gerados por computador. Os ents então, nem se fala. Exatamente do jeito que dá para imaginar ao ler o livro. Perfeitos em cada detalhe. Os “olifantes” e os seres que carregam os Nazgul ficaram muito bons também.
  • Das paisagens. A última cena do filme, mostrando Mordor, com Barad-Dur de um lado e Orodruim do outro foi de arrasar.
  • Gollum. Simplesmente incrível. Exatamente como os livros descrevem. A dicotomia da personalidade dele foi representada perfeitamente.
  • Novos personagens. Quase todos os personagems foram bem caracterizados. Éomér, Éowyn, Théoden e Grimá passaram muito bem o que os livros mostram. Palmas para Miranda Otto, que faz a Éowin. Ela é uma excelente atriz e o papel dela no próximo filme promete.
  • O quarteto fantástico. Gandalf, Aragorn, Legolas e Gimli estão bem melhor caracterizados. Por falar em Legolas, a cena em que ele sobe em um cavalo em movimento foi incrível. Essa e outras cenas deram um tom “élfico” ao personagem que ainda não tinha ficado muito claro mesmo com as orelhas pontudas :)

Detestei:

  • O Entebate. Simplesmente ridículo. Os ents ficaram parecendo seres covardes e preguiçosos. E para piorar, ainda teve o lance da redenção do Pippin, enganando o Barbárvore para levá-lo a lutar contra Saruman. Se contar que eles poderia ter dado mais ênfase à relação entre o Barbárvore e a floresta, e à velhice dos ents.
  • Frodo e o Nazgul. De onde eles tiraram aquela idiotice!?
  • Faramir de vilão!? Inacreditável. Embora o ator esteja muito bem, e até parece um bocado com o Boromir, a caracterização não podia estar mais fora dos livros. E ir para Gondor depois!? Foi o fim da picada.
  • A palhaçada com o Gimli. Não sei de onde veio a idéia de que o Gimli é cômico daquele jeito. Fica até engraçado, mas tira a magia do personagem.
  • De onde vieram aqueles elfos para o Abismo de Helm? Os elfos pouco aparecem nos livros. E porque não são tão “eficientes” como o Legolas no manejo das armas? De onde veio a idéia de que o Haldir saiu a mando do Elrond. Ele não era sujeito a Lothlórien?
  • Merry e Pippin não se encontram com Gandalf em Fangorn.
  • Um triângulo amoroso entre Éowyn, Aragorn e Arwen!? Caramba!
  • As mudanças nos acontecimentos relativos à batalha, que é apenas uma pequena parte do livro.
  • Finalmente, cadê o resto do livro? Ficaram tantos pedaços de fora que não dá nem para contar. Porque mover a parte da Laracna para o outro filme? E o resto da história de Merry e Pippin com o Barbárvore? Por aí vai.

Pelas listas dá para ver porque o filme é bom e ruim ao mesmo tempo. Infelizmente, o terceiro deve desviar ainda mais dos livros se a mesma linha de direção for seguida. Principalmente pensando na questão do tempo. Mesmo assim, valeu a pena ver. Pretendo rever para pegar detalhes que passaram despercebidos e vou esperar pelo próximo. Mas fica um certo receio para com adaptações de livros que já vem de ver Duna há um tempo atrás. Depois de O Senhor dos Anéis, existem certos livros cujas adaptações para a telona, caso venham a existir, eu me recusarei a ver.

§ 5 Responses to As Duas Torres"

  • Zé Renato says:

    Quero ver… quero ver… :o)

  • Ronaldo says:

    Então está esperando o quê? :o) Eu estou indo ver pela terceira vez hoje, aproveitando que a entrada é mais barata :)

  • Gustavo says:

    Eu gostei muito da cena inicial do Gandalf lutando com o Balrog, ficou animal. A batalha no Abismo de Helm foi o principal espetáculo do filme, eles reproduziram a fortaleza exatamente como eu imaginava, ficou perfeito.

    O filme deixou a desejar nos desvios feitos pelo diretor com relação à história original. Um destes desvios foi a chegada dos elfos em Helm para simbolizar a antiga aliança com os homens (no livro não existem elfos na batalha do abismo, com excessão de Legolas). Outra coisa pela qual gostaria de chamar a atenção é a decisão dos Ents quanto a sua participação na guerra contra Sauruman. No filme eles decidem (no Entebate) que nada irão fazer, porém no livro eles decidem invadir Isengard, quer dizer, não existe aquele diálogo em que Pippin convence Barbárvore a passar por Isengard para levá-los embora.

  • Ronaldo says:

    Voltei de assistir pela terceira vez. Realmente é muito bom, mas tem essas falhas gritantes que você apontou. Até por isso a Alessandra e eu queremos reler o livro para verificar essas diferenças em mais detalhes.

  • Soraia says:

    Bem podias esperar sentado se estavas á espera que os filmes fossem iguais aos livros assim não teria piada nenhuma e sŽso pessoas provavelmente obcecadas como tu poderiam alguma vez fazer este tipo de comparações os filmes são bons assim e não ganharam óscares por serem fotocópias mas sim pela sua originalidade.

What's this?

You are currently reading As Duas Torres at Superfície Reflexiva.

meta