Mundo indistinto

February 13th, 2003 Comments Off on Mundo indistinto

A armação dos meus óculos quebrou inesperadamente anteontem. Algumas horas antes, quando eu voltava do trabalho para casa, ouvi um som parecido com um clique vindo da mesma por um instante e até tirei os óculos para verificar, mas não notei nada de errado. Mais tarde, quando eu estava na reunião de homens na igreja, a armação simplesmente se partiu e o mundo ficou instantaneamente indistinto.

Eu uso óculos desde os sete anos de idade, e uso o dia inteiro. Praticamente só tiro para tomar banho e para dormir. Embora algumas vezes eu já tenha quebrado a lente ou a própria armação e ficado alguns dias sem os óculos, a última vez em que isto aconteceu foi há tanto tempo que eu havia me esquecido de como sou dependente dos mesmos — eu simplesmente não consigo fazer nada sem os óculos. Ler, só se o livro estiver a uns cinco ou dez centímetros do rosto. Usar o computador é impossível. Até andar pela casa é ruim.

De manhã, eu liguei para o trabalho que avisar que não ia pela manhã pois ia tentar consertar o estrago. Minha esposa teve que ir comigo por que não me senti nem um pouco confiante para pegar um ônibus e ir até o centro da cidade não enxergando quase nada do que estava acontecendo ao meu redor. Achemos fácil uma local que fazia o conserto, mas tivemos que esperar um bom tempo até ficar pronto. Mas que alívio quando o mundo voltou ao normal.

Depois disso, resolvi tomar vergonha na cara e fazer óculos novos. Estes já estavam comigo por quase quatro anos, e acho que foi isso que causou o problema. Como a minha miopia estabilizou há uns dois anos, e no último exame que fiz havia até regredido um pouco, eu enrolei mais para trocar os óculos dessa vez. Minha esposa e eu fomos direto para a loja de um senhor que tem feito meus óculos pelos últimos quinze anos (com a exceção de um deles), e providenciamos a troca. A facada ficou em R$ 325,00 por conta de uma lente especial anti-reflexiva e que escurece no sol, mas pelo menos agora não vou ter mais problemas por causa da fotofobia. A compra foi até divertida por que ficamos conversando com o Ramon, esse senhor que eu conhecia. (Eu sempre acho estranho que todo mundo se lembra de mim mesmo não tendo me visto por vários anos.) Ele também nos explicou um pouco sobre a manufatura das lentes de óculos, que era um assunto sobre o qual eu sempre tiver curiosidade de saber.

Os novos óculos ficam prontos até a próxima quarta-feira. Até lá espero que a o conserto agüente. Não tem a menor graça viver em um mundo indistinto.

Comments are closed.

What's this?

You are currently reading Mundo indistinto at Superfície Reflexiva.

meta