O novo pobre

May 12th, 2003 § Comments Off on O novo pobre § permalink

Um pequeno artigo no O Globo comenta um pouco sobre a nova realidade do desemprego no país: 40% dos pobres são de famílias pequenas, têm escolaridade boa ou razoável, são de ascendência branca e com tiveram empregos formais do passado. Esse é um fato que eu venho constatando na prática. (Não, não sou eu o desempregado. Graças a Deus eu tenho um emprego muito bom.) Vários amigos meus, após o último emprego não conseguiram mais uma recolocação no mercado, apesar de contarem com boa formação e excelentes currículos. Essas pessoas hoje estão sobrevivendo de bicos e fazendo cursos e seminários para tentar impressionar um possível empregador.

Essa é uma situação triste e que vem piorando ainda mais com o mercado arrefecido. Como o artigo aponta, a culpa maior é do baixo crescimento econômico dos últimos anos. Isso coloca um peso adicional no novo governo, que precisa a todo custo propiciar condições para um retomada econômica. Como o artigo também comenta, esses “novos pobres” acabam ficando em uma situação delicada pois não são alvo de programas assistenciais já existentes para os desempregados sem qualificação. E, de qualquer forma, sem crescimento econômico, não adianta uma parca assistência que dê para uma mera sobrevivência, sem boas condições de vida, seja para qualificados ou desqualificados.

Para complicar ainda mais a situação, muitos jovens estão se formando com esperanças de obter um bom emprego e vão acabar na fila dos desempregados, algumas vezes com dívidas e sem perspectivas de um bom futuro. Um amigo meu comentou que no ano passado as universidades formaram três mil publicitários, mas o mercado despediu dois mil. Só aí temos cinco mil pessoas precisando de empregos que não vão encontrar. E como esse exemplo mostra, um dos piores setores afetados é do serviços, que em muitos casos não são essenciais. Aqui em Belo Horizonte, como em muitos outros lugares, o setor de serviços deu uma grande guinada para baixo no último ano. E se o setor está ruim, nem o mercado informal é suficiente para melhor a situação. Conseguir uma boa colocação hoje é mais uma questão de sorte do que de competência.

Infelizmente, o jeito é esperar que o governo consiga implementar as reformas necessárias para o desenvolvimento do país, fazendo tudo que um cidadão pode fazer para ajudar.

Mozilla 1.4b suporta NTLM

May 12th, 2003 § Comments Off on Mozilla 1.4b suporta NTLM § permalink

O Mozilla 1.4b saiu alguns dias atrás, mas eu acabei nem indo no site para dar uma olhada até esse fim de semana. Como a versão é beta, eu ainda não baixei, mas uma das novidades é bem interessante: o Mozilla agora suporta autenticação NTLM.

Essa novidade é muito boa por que o NTLM é um protocolo de autenticação da Microsoft antes só suportado (obviamente) pelo Internet Explorer, ou seja, como o Mozilla não o suportava, não era possível usá-lo para conectar-se a servidores ou proxies que usam o dito protocolo. A empresa onde eu trabalho até liberou o uso da autenticação Basic para que eu pudesse usar o Mozilla, mas com a nova versão do navegador vai ser possível parar se usar essa opção já que ele não é tão segura quanto a NTLM.

O Fim da Infância

May 11th, 2003 § 1 comment § permalink

O Fim da Infância, de Arthur Clarke, é um dos outros clássicos da ficção científica e muitos inclusive o consideram a obra-prima de Clarke pela sua visão da humanidade. O livro pertence a uma era mais antiga do seu gênero e, embora contenha alguns elementos datados, permanece suficientemente atual para despertar a curiosidade do leitor moderno. Embora não tenha recebido nenhum dos grandes prêmios da ficção científica, esse fato pode ser justificado pela sua data de publicação, que antecede alguns desses prêmios. Ainda assim, é um livro que freqüentemente aparece em listas das grandes obras de todos os tempos do seu gênero.

Escrita em 1953, a estória começa com a chegada de enormes naves alienígenas prateadas que se posicionam sobre os céus das principais cidades da Terra justo a tempo de acabar com a corrida espacial e salvar a humanidade de seu caminho destrutivo. Os recém-chegados imediatamente tomam conta de todos os negócios da espantada raça humana, demonstrando no processo o seu imenso poder e recebendo assim o título de Senhores Supremos. Como logo se fica sabendo, a dominação, apesar de realmente existir, é de uma natureza benigna, e logo os Senhores Supremos conduzem a humanidade a uma era nunca vista de prosperidade e paz que a raça humana nunca seria capaz de alcançar por si mesma. Algumas grandes questões entretanto se apresentam à humanidade. Primeiro, quem seriam os Senhores Supremos? Os alienígenas recusam a se mostrar à humanidade, dando com razão o próprio bem da mesma. E segundo, qual é o propósito por trás da chegada dos mesmos? Clarke tece a sua história conduzindo o leitor à solução desses dois grandes mistérios em um dos mais elaborados enredos da era clássica da ficção científica, culminando em uma interessante e satisfatória conclusão.

Clarke segue seu estilo usual, direto e meio científico para contar uma estória interessante. Ele mostra a humanidade de uma maneira diferente da usual, em um contexto em que ela é apenas uma pequena parte de um todo. Ainda assim, eu não fiquei tão empolgado pelo livro. O final é legal, parcialmente aberto e com bons ganchos para a imaginação, mas acho que depois de ler outros livros do Clarke com finais similares, a idéia ficou um pouco gasta para mim.

De qualquer forma, o livro é bom, de fácil leitura. Para os fãs de ficção científica este é um livro que vale a pena ler por causa do seu lugar na história da ficção científica.

Blog na Rede é Gol!

May 10th, 2003 § 2 comments § permalink

Para os fanáticos por futebol, um novo espaço está disponível na Internet: o Blog na Rede. É um novo weblog onde três amigos meus, grandes amantes do futebol, se encontram diariamente para comentar os principais acontecimentos desse esporte com conhecimento de causa e muito bom humor. Tudo é válido, e tudo será cornetado nesse novo local.

Já que cada um deles é torcedor de um time diferente (Atlético Mineiro, Cruzeiro e Flamengo), você já pode ver o que vai acontecer. Participe você também! Os comentários são abertos, e qualquer torcedor é bem-vindo para opinar e complementar as informações.

O mercado de desenvolvimento em Belo Horizonte

May 9th, 2003 § Comments Off on O mercado de desenvolvimento em Belo Horizonte § permalink

Nos últimos dias eu tenho ouvido e sondado um pouco sobre a situação das empresas aqui em Belo Horizonte sobre a decisão de qual plataforma empresarial de desenvolvimento adotar: .NET, da Microsoft; ou Java, da Sun. Ao contrário do que eu esperava, dada a pressão que a Microsoft faz aqui na cidade, as empresas estão muito indecisas em que direção seguir e muitas estão inclusive pensando em adotar as duas plataformas paralelamente para garantir integrações futuras.

Um das maiores compradores de aplicações terceirizadas aqui de Belo Horizonte, que deve permanecer não-nomeada, está enfrentando um boa divisão interna quanto à questão. E, pela situação, essa é uma empresa que optará simultaneamente pelas duas plataformas. O mais importante nesta briga interna é que a empresa é formadora de opinião, tendo um grande peso no mercado.

Considerando que o governo se decidiu por Java, o panorama fica ainda mais complexo. O Linux está ganhando um bom mercado atualmente com muitos provedores oferecendo pacotes mais baratos de hospedagem para esta plataforma e as empresas que fazem serviço Web estão começando a reconhecer o potencial desse sistema. A existência de servidores fortes e confiáveis de aplicação, Web e banco de dados, além da disponibilidade geral de linguagens e bibliotecas na plataforma está sendo um grande atrativo para empresas que estão interessadas em economizar nos custos de produção de aplicações, tanto produzidas internamente, quanto terceirizadas.

Toda essa conjuntura tem colocado as empresas de desenvolvimento em uma situação delicada. Algumas estão protelando a decisão de qual plataforma escolher até que o mercado se pronuncie. Infelizmente, algumas empresas podem acabar esperando demais já que, qual seja a plataforma mais aceita, a outra com certeza terá uma fatia de mercado suficiente para não ser ignorada. Dessa vez, colocar todos os ovos em uma cesta pode efetivamente tirar algumas empresas do mapa.

O engraçado é que esta era uma situação que a maioria das empresas não esperava. Belo Horizonte sempre foi fortemente voltada para o desenvolvimento ASP e era de se supor que as empresas procurariam nivelar o conhecimento de tecnologias Microsoft no .NET. Mas a adoção da nova plataforma tem se mostrado muito mais lenta do que a própria Microsoft gostaria. Há rumores de que os representantes da Microsoft estão exercendo uma boa pressão em cima de seus clientes no sentido de começar a migração das aplicações atuais. Considerando a habilidade da Microsoft no assunto, essa é uma força que terá que ser reconhecida, mas que não implica necessariamente em um controle do mercado.

Eu não me preocupo muito com as decisões que serão tomadas já que pela primeira vez a Microsoft tem uma plataforma de desenvolvimento suportável. Depois de ser forçado a trabalhar com o Visual Basic, eu aguentaria qualquer coisa, mas comparado a ele o C# é uma maravilha. Se Java se tornar uma plataforma factível, melhor ainda — todo conhecimento é útil para garantir a minha empregabilidade. Apesar disso, é melhor eu começar a dar um jeito de atualizar minhas habilidades dos dois lados. A situação do mercado está começando a ficar bem interessante.

Tela para textos eletrônicos

May 8th, 2003 § 5 comments § permalink

Um amigo meu me passou um link para um artigo super-interessante na CNN: criaram um tela finíssima e flexível para textos eletrônicos. O negócio é do caramba! A tela tem a espessura de três fios de cabelo humano e pode ser dobrada, retorcida e enrolada sem que o texto perca a nitidez. O processo de exibição do texto então, que você pode conferir no artigo, é simplesmente incrível!

As possibilidades da tela também são enormes e não se limitam somente a livros. Mesmo ainda sendo somente preto e branco já dá para pensar em um monte de aplicações. Colorida então, as possibilidades são inimagináveis. Essa é realmente um tecnologia que pode revolucionar o mercado.

Um dos meus sonhos é que chegue um dia em que você possa carregar sua biblioteca, ou pelo menos uma parte dela, em um aparelho eletrônico portátil como esse. Hoje, o maior problema parece ser a resolução das telas que é muito baixa e dificulta a leitura por cansar o olho mais rápido do que o equivalente impresso. Eu já até olhei alguns aparelhos que tem essa função, embora usem tecnologia diferente, mas, além de serem caros, normalmente usam formatos proprietários de modo que os títulos são muito limitados.

O maior problema para a difusão de livros eletrônicos será provavelmente a mesma dificuldade enfrentados pelo mercado de música hoje, com a briga por causa da pirataria. Mas esse também é um problema que só o tempo dirá como será resolvido.

Por enquanto, o jeito é ficar na expectativa por mais alguns anos…

Deep Thinking about Weblogs

May 8th, 2003 § Comments Off on Deep Thinking about Weblogs § permalink

Nota: ler o artigo Deep Thinking about Weblogs, por Andrew Grumet, que o André Restivo indicou. Parece ser realmente interessante.

CSS Zen Garden

May 8th, 2003 § 3 comments § permalink

Simon Willison dá a dica de um site CSS muito legal demonstrando o uso da tecnologia para criar sites bonitos e úteis. O site usa o mesmo documento HTML aplicando cinco diferentes folhas de estilo que mudam completamente o modo como o mesmo é exibidio.

Eu faria apenas uma sugestão ao autor do site que seria nomear as folhas de estilo no documento para permitir que usuários do Mozilla pudessem trocá-las com um click. Mas isso é o de menos. O site certamente vale uma visita e um estudo, embora tenha alguns probleminhas com o Mozilla.

Mandrake Linux 9.1

May 7th, 2003 § 18 comments § permalink

Ontem eu instalei o Mandrake Linux 9.1 no meu computador em casa. O Mandrake é a distribuição que eu uso desde que decidi ter um sistema dual-boot em casa para experimentar e futuramente transformar o Linux em minha plataforma primária. A primeira versão do Mandrake que eu usei foi a 8.0, que acabou ficando pouco tempo no meu computador porque sua sucessora, a 8.1, apareceu logo depois com grandes melhorias. Durante algum tempo eu também tive o Red Hat 7.2 como terceiro sistem, principalmente por causa de sua ampla difusão, mas acabei optando por ficar somente com o Mandrake mesmo. A distribuição se provou mais do que suficiente para minhas necessidades normais tanto de desenvolvedor com usuário comum. » Read the rest of this entry «

X2

May 4th, 2003 § 5 comments § permalink

Assisti X-Men 2 na sexta-feira com minha esposa e meus irmãos, depois de uma série de aventuras e desventuras para conseguir o ingresso (parece que isso está se tornando rotina nos filmes mais interessantes que eu assisto).

Como quase todo mundo já deve ter assistido por agora, só vou dizer para os que não viram que o filme mata a pau. Simplesmente incrível. Algumas seqüências, como a que abre o filme com o Nightcrawler, são melhores do que quase qualquer outra coisa que eu já vi no cinema. :-O A cena com a Mystique no bunker também é antológica.

Destaque especial, novamente, para o Ian McKellen, no papel de Magneto, e para o Hugh Jackman, o Wolverine. Os caras são simplesmente sensacionais. :-)

Agora é só esperar mais uns dias por The Matrix Reloaded. 😉

Where am I?

You are currently viewing the archives for May, 2003 at Superfície Reflexiva.