Gentoo Linux

September 30th, 2003 § 13 comments

Eu estou impressionado! Eu estou escrevendo esta entrada de um Gentoo Linux bootado diretamente de um LiveCD, sem que qualquer coisa tenha sido instalada para o disco. Eu estou pensando em mudar do Red Hat para o Gentoo e resolvi conferir. Muito interessante mesmo. Agora preciso conseguir uma release mais nova — no caso a 1.4, que saiu recentemente. Mas fazer um download de quase 900MB sob dial-up é complicado. O jeito vai ser conseguir os CDs em algum lugar, ou comprar na loja online deles (23 doletas americanas, com frete).

§ 13 Responses to Gentoo Linux"

  • Diego says:

    num vai dar nenhum site sobre isso?! :-)

  • Willy Garabini says:

    Eu também fique impressionado com as distros LiveCD. Tente depois a Slackware LiveCD, que roda um file system de embedded systems (cramfs). Simples e muito eficiente. Mas nenhuma tira do trono o Kurumin. Pequeno, documentação farta, descendência nobre (KNOPPIX, Debian) e brasileiro.

  • Apesar de não ter um contato profundo, ainda, com o Kurumin acredito ser uma das melhores distrubuições até então. Até mesmo pelo fato que você pode rodá-lo, como o Gentoo, diretamente do CD sem instalar nada no disco rígido.

  • Tá, mas o que o Gentoo tem de bom? Na hora do vamuvê por que é bom? 😉

    Pra mim, que não sou escovador-de-bits, “bom” é o mesmo que “fácil de usar”. Fácil de instalar programa, fácil de rodar, fácil de configurar, etc. O Gentoo manda bem nessa área? Tem farta seleção de pacotes? :-)

  • Ronaldo says:

    Willy,

    Eu cheguei a experimentar o Slackware uma vez, mas ele não suportava nem teclados ABNT2 e eu acabei deixando prá lá. Mas parecia uma distro legal.

    Quanto ao Kurumin, eu fiquei um pouco decepcionado com os pacotes que ele tem. Bem poucos. Mas para uma distribuição minimalista, não dá para ter muitos mesmo.

    Rafael,

    Como eu disse para o Willy, o Kurimin me decepcionou um pouco na seleção de pacotes. Tudo bem que é uma distribuição minimalista. Ficar baixando, compilando e instalando tudo o que você precisa sem um boa integração automática não é rola para todo mundo.

    Cris,

    O Gentoo é famoso pela sua Portage tree, a coleção de pacotes (hoje quase 5500) que podem ser obtidos diretamente dos servidores com um simples comando que compila e instala o necessário. É o equivalente do apt-get de outras distribuições. Mas isso você provavelmente já sabe :-)

    Eu gostei do que vi. Uma coisa interessante sobre o Gentoo é que a maioria dos pacotes é a versão pura do aplicativo, sem as customizações que as distribuições fazem na maior parte das vezes. O KDE, por exemplo, é o mesmo que você obteria no site do mesmo, sem as frescuras do Mandrake ou Red Hat. E, em facilidade de uso, não notei qualquer qualquer diferença para as outras distribuições. Não tem os Control Panels dessas duas distros, mas pelo KDE e pelo Gnome dá para resolver quase tudo.

    Por outro lado, obviamente eu ainda não o usei o suficiente para descobrir suas falhas. Mas o que li e escutei sobre ele foi bom.

    De qualquer forma, o Mandrake 9.2 vem por aí. Vou tentar mais uma vez com ele. É a melhor que eu usei até agora, mas tem uma coisas que me deixam fulo de vez em quando — como os devices que desaparecem sem explicação do devfs.

  • Jonas Galvez says:

    Um amigo meu me convenceu a instalar o Debian (e aliás, não arranjei tempo e disposição pra instalar ainda), mas de repente, todos que conheço começam a dizer que Debian é complicado, dá muitos problemas etc e tal. Não me abalei, continuo firme na idéia de instalar o Debian. Mas recentemente um outro amigo meu começou a fazer sérios elogios em relação ao Gentoo. Agora não sei. Talvez eu instale o Debian em uma máquina e o Gentoo em outra, só para ver qual duas duas é melhor mesmo…

  • rafa says:

    Debian. Debian. Debian.

  • Ronaldo says:

    Galvez,

    Todo mundo fala bem do Debian, mesmo. Eu até pensei em instalá-lo, mas desisti quando um amigo meu disse que para suportar som você precisar recompilar o kernel. Se qualquer bobeira for assim, não rola mesmo. Parece que ele é realmente mais voltado para o lado servidor. Mas um dia eu ainda experimento; nem que seja por curiosidade.

  • Ronaldo says:

    Galvez,

    Todo mundo fala bem do Debian, mesmo. Eu até pensei em instalá-lo, mas desisti quando um amigo meu disse que para suportar som você precisar recompilar o kernel. Se qualquer bobeira for assim, não rola mesmo. Parece que ele é realmente mais voltado para o lado servidor. Mas um dia eu ainda experimento; nem que seja por curiosidade.

  • sandro augusto says:

    Depois dos comentários que li, vou testar o Gentoo, acredito que quanto mais opções de sistemas operacionais tivermos, mais teremos em ganho de utilização

  • Ronaldo says:

    Eu estou testando o Gentoo em uma máquina no trabalho e devo confessar que a minha opinião quanto a ele está dividida um pouco. Por um lado, é um sistema muito flexível e bem configurável. Por outro lado, ele quebra muitas convenções usuais nas distros mais populares e isso confunde e atrapalha um pouco. Mas é realmente poderoso e flexível. Só não é para quem não têm tanta experiência. Se você não estiver disposto a fuçar, não vale a pena baixá-lo.

  • Otávio says:

    Olá Ronaldo. Só para avisar que estava procurando como fazer um .ebuild para um source e caí aqui no teu blogue! aehaheh 😀 😀 😀

    Pena de terminaram com o Debian aqui do Cluster.. Era tão bom de brincar. Se ainda fosse debian eu já teria meus pacotes na mão (feitos em casa mesmo) e resolveria com um simples dpkg –install :) :)

    [ ]s e Feliz Ano Novo!

What's this?

You are currently reading Gentoo Linux at Superfície Reflexiva.

meta