Palavas intraduzíveis

June 24th, 2004 Comments Off on Palavas intraduzíveis

Via Roberto, uma notícia interessante: “Saudade ‘é a 7ª palavra mais difícil de traduzir'”. A notícia dá uma lista das dez palavras consideradas mais complicadas para se traduzir por pessoas que trabalham na área, incluindo, como o título diz, a nossa sempre aclamada “saudade”.

As palavra, em ordem, são:

Ilunga (tshiluba)
uma pessoa que está disposta a perdoar quaisquer maus-tratos pela primeira vez, a tolerar o mesmo pela segunda vez, mas nunca pela terceira vez
Shlimazl (ídiche)
uma pessoa cronicamente azarada
Radioukacz (polonês)
pessoa que trabalhou como telegrafista para os movimentos de resistência o domínio soviético nos países da antiga Cortina de Ferro
Naa (japonês)
palavra usada apenas em uma região do país para enfatizar declarações ou concordar com alguém
Altahmam (árabe)
um tipo de tristeza profunda
Gezellig (holandês)
aconchegante
Saudade (português)
Precisa explicar? :-)
Selathirupavar (tâmil, língua falada no sul da ?ndia)
palavra usada para definir um certo tipo de ausência não-autorizada frente a deveres
Pochemuchka (russo)
uma pessoa que faz perguntas demais
Klloshar (albanês)
perdedor

Como alguém que já fez muitas traduções na vida (e ainda faz, na versão em inglês desse blog), eu compreendo muito bem esse problema. Para intérpretes, fazendo traduções ao vivo, a questão fica ainda mais complicada. A palavra aparece, você sabe muito bem o que ela significa, mas dá aquela travada.

Uma das coisas relacionadas com isso é a capacidade que alguns idiomas tem de combinar duas palavras simples para formar uma expressão mais complexas. Tanto o inglês como o alemão são famosos por isso. Nesses casos, a tradução sempre é complicada.

Algumas vezes também, o problema gera situações engraçadas. Por exemplo, no site oficial de um determinado autor que eu gosto, o próprio autor mencionou recentemente que o nome de um de seus personagens, “Saltheart Foamfollower”, foi traduzido para “Briny, o Pirata”, na versão francesa do livro. Essa é para chorar de tanto rir. (E o pior é que traduzir esse nome para o português seria também extremamente complicado. O nome literalmente é “Coração Salgado” “Aquele que segue a Espuma”, que significa, respectivamente, “Mar” e “Compasso”. Ou seja, o nome realmente quer dizer “Compasso Marítimo”. Palavras do autor. Explicado, fica óbvio. Mas o processo de tradução é tortuoso. Sem contar a perda da poesia implicada pelo nome idioma original. Só um tradutor muito experiente para conseguir isso.)

Considerando a complexidade dos idiomas humanos, esse é um problema que sempre vai existir. E, na verdade, que queremos que sempre exista. Afinal de contas, se todos idiomais fossem uniformes, que graça teria?

Comments are closed.

What's this?

You are currently reading Palavas intraduzíveis at Superfície Reflexiva.

meta