Leituras

November 19th, 2004 § 13 comments

Viciado em leitura que sou, não pude deixar de ficar contante ao chegar em casa anteontem e me deparar com seis livros novinhos me esperando. Eu não posso comparar o cheiro de livro novo a cocaína, porque nunca usei a mesma, mas, pelos efeitos reportados acho que o cheiro de livros tem o mesmo efeito em mim.

Dos livros que chegaram, dois eu até tinha lido, emprestados. Resolvi comprar porque minha esposa queria ler e os mesmos estavam em um promoção (que virou preço oficial depois). O nome dos livros, que não devem ser surpresa para ninguém, são O Código Da Vinci e Anjos e Demônios do Dan Brown.

Alguns meses atrás, depois de tanto ouvir falar nesses livros, eu resolvi arrumá-los emprestado. Li os dois de uma sentada só e gostei. Os dois livros têm seus méritos (eu gostei mais do Anjos e Demônios) e cumprem bem a sua função de entreter o leitor. Não são profundos, tem suas falhas de estilo, mas o passo deles é mais do que suficiente para manter o leitor interessado até a última página. E isso é o mais importante em uma história.

O que mais me impressionou nos dois livros é, obviamente, o sucesso que eles continuam fazendo. O Código da Vinci já vai para sua 86ª semana consecutiva na lista dos mais vendidos do New York Times. Quase todos os dias, em qualquer lugar que eu vá, eu vejo pessoas lendo ou carregando um dos dois. Pelo que dá para ver, teorias de conspirações sempre vendem bem. O Dan Brown sem dúvida está rindo até a orelha da hora que acorda até a hora que dorme todo dia. E considerando que o livro é uma mistura de teorias malucas (a maior parte delas incorretas, pelo que sabemos do contexto histórico), ele se deu muito bem.

Com a promoção, veio “grátis” um dos milhares de livros criticando O Código da Vinci. Eu até não estava interessado, mas a promoção não permitia excluir o outro livro e eu acabei pedindo assim mesmo. O engraçado é que esse livro é escrito por um pastor do Seminário Teológico de Dallas, um dos seminários batistas mais conceituados do mundo. Considerando que eu também sou batista, eu estou até curioso para ver o que o autor tem a dizer sobre o assunto.

Os outros três livros são a nova trilogia completa do Neal Stephenson, The Baroque Cycle. O Neal Stephenson é um dos autores difíceis de se encontrar no Brasil e, apesar da fama dele, eu ainda não li nenhum livro dele. Eu até tenho o Cryptonomicon, em formato digital, comprado na Fictionwise, mas ainda não tive tempo de ler.

Os livros de passam nos séculos XVII e XVIII, em meio às grandes mudanças políticas e sociais que dominaram esse período, incluindo os grandes avanços científicos que aconteceram na época. Muitos dos personagens são históricos, como Isaac Newton e Gottfried Leibniz, cujos duelos na fundação da ciência moderna são parte da trama. O enredo, inclusive, é gigantesco, pelo que eu li, o que até assustou alguns leitores, mas é justamente o tipo de coisa que eu gosto.

Agora tenho quatro calhamaços do autor (o menor dos livros tem 800 páginas) para encarar nas (prováveis) férias de fim de ano. Pelas resenhas, acho que vou gostar. Só os títulos dos livros da trilogia já são bem interessantes: Quicksilver, The Confusion e The System of the World. As capas, curiosamente, são das cores prata, bronze e ouro, respectivamente.

Assim que eu terminar de ler esses quatro, coloco as resenhas aqui. Recentemente, eu estou meio que ignorando a vontade de resenhar os livros que estou lendo, pela falta de tempo, mas há alguns autores interessantes que eu achei recentemente que merecem o trabalho. Philip Pullman e China Miéville são dois nomes que me vêem à mente no momento.

E vocês, o que andam lendo?

§ 13 Responses to Leituras"

  • Diego Eis says:

    Olá de novo Ronaldo! Tudo bem cara? faz tempo que a gente não dá uma conversada.

    Cara, podem me chamar do que for, mas estou lendo o Estrada do Futuro do Bill Gates… E o cara escreve bem! Estou gostando e recomendo pro pessoal.
    O livro é velho, foi publicado em 95… Então, não se assustem quando ele falar do ISDN como se fosse de outro mundo…

    O livro é muito interessante!

    Fora que estou com uma lista enorme que quero comprar… Fala sério.. Livro vicia, como vc disse… tenho que evitar entrar em livrarias porque se não perco muito tempo lá, e se vacilar, perco o dinheiro do leitinho das crianças. 😀

  • Daniel Koch says:

    Ronaldo, com que frequência você lê seus livros? Cara, eu to com uma pilha de livro esperando ser lida aqui, estou lendo Operação Cavalo de Troia I ja faz dois meses, e o II está aqui esperando, isso porque o livro vai até o VI.

    Fora isso, vejamos, tem o ‘PHP 4 – A Biblia’ que é emprestado, o ‘C completo e total’ que eu só li até a metade, O Hobbit e todos os do Senhor dos Aneis, 20.000 leguas submarinas, Inteligencia Emocional, INTEL IA-32 Architecture Software Developers Manual, etc… e fora os que eu quero e preciso reler: Pai Rico Pai Pobre, C++ Black Book, Programming C# e Programming Windows… e fora os que eu ainda quero comprar.

    Você é um cara que lê bastante, eu gostaria de saber qual é a sua tecnica pra manter uma leitura estável? E quando o livro é de programação, como você faz? Lê tudo primeiro e depois vai aprender o que aprendeu ou já sai programando e larga o livro?

    Abraços cara!

  • Ronaldo says:

    Opa, Diego! Tudo bom?

    Precisamos conversar mesmo. Todo mundo está sem tempo ultimamente. Essa nossa vida está ficando cada vez mais complicada.

    Quanto o livro do Gates, eu nunca tive coragem de ler por causa dessa velhice. Mesma coisa com o outro livro dele, o Release 1.0, da Esther Dyson, e o Vida Digital, do Negroponte. Fico desanimado de ler sobre coisas que já mudaram tanto. Talvez leia um dia por curiosidade histórica, mas por enquanto não dá. 😀

    Sobre comprar livros, sempre que eu vou no shopping, minha esposa fica vigiando, evitando que eu entre em uma livraria. Mesmo assim, eu acabo comprando bastante. E o pior é que se eu comprar demais, atrapalha o leitinho das crianças literalmente. 😛

    Abraços,

  • Ronaldo says:

    Oi, Daniel. Tudo bom?

    Sobre a freqüência de leitura, eu sou compulsivo mesmo. Leio em qualquer ocasião que puder: no ônibus, no banheiro, na hora do almoço, etc. Agora que eu leio a maior parte dos meus livros no Palm, ficou mais fácil ainda transportar vários e alterar quando um fica cansativo. Mesmo assim, eu tenho uma lista enorme de espera, dezenas de livros que eu comprei (ou ganhei na Fictionwise) e que eu ainda não consegui nem encostar a mão.

    Eu não tenho um segredo, exceto o der ler como um hábito. Isso me deu uma velocidade bem razoável que me permite terminar a maior parte dos livros em dois ou três dias, lendo apenas nessas horas vagas. Outra coisa que eu faço é ler dois ou três livros ao mesmo tempo. Isso ajuda a passar as partes mais tediosas de alguns livros (sempre tem aquela parte que o autor não deu uma polida e ela se arrasta).

    Agora, sobre livros práticos, o ideal é sempre seguir os exemplos. Às vezes, inclusive, nem dá para continuar no livro sem aprender o anterior. É melhor levar mais tempo e aprender direito, do que tentar absorver tudo de uma só vez.

    Espero ter ajudado :-)

  • caffo says:

    Oi Ronaldo

    Eu terminei o Anjos e Demônios alguns dias atrás, e agora estou relendo o Monalisa Overdrive do Gibson, mas não vejo a hora de terminar: chegou ontem a minha cópia do ‘Mind Wide Open: Your Brain and the Neuroscience of Everyday Life’ que me foi recomendado num canal de IRC. Com esse, já vou me preparando para o Mind Hacks :)

  • TaQ says:

    Como estava desenferrujando um pouco em C acabei de ler o “Aprenda em 24 horas programação para Linux” (apesar do título meio dummie, tem muita dica legal ali) do Warren G. Gay (não, não é isso que vocês estão pensando ehehe).

    Antes li “Free as in Freedom”, do Sam Williams, sobre o Richard Stallman. Agora tenho que acabar de ler “The Cathedral and the Bazaar”, do Eric Raymond, e começar a ler o “Sistemas Operacionais Modernos”, do Tanembaum (finalmente comprei! mas quero ver como vou levar esse monstrinho no busão! :-).

    Esses que mencionei, são todos impressos. No Palm estou lendo “The Book of Were-Wolves” (sim, lobisomens!) de Sabine Baring-Gould.

    Bom, é isso. :-)

  • Ronaldo,
    No momento eu estou lendo O Código da Vinci do Dan Brown. E de leitura técnica, estou lendo dois livros para quem deseja ir um pouco além da programação: Engenharia de Software do Roger Pressman e Business Intelligence: Modelagem e Tecnologia do Carlos Barbieri, excelentes leituras!

  • Ronaldo says:

    Taq, de técnico esses últimos tempos eu só li o “Programming Ruby”. O “Freedom as in Freedom” está na minha lista há um bom tempo, mas ainda não tinha animado a ler.

    O do “Sistemas Operacionais Modernos” é fantástico. Eu li uma vez, embora não tivesse intenção de por em prática na época — mais pelo conhecimento em si — e achei fascinante. Vale a pena mesmo.

    Esse dos lobisomens, do que se trata? Pelo título, parece legal.

  • Ronaldo says:

    Ricardo,

    Eu sabia que teria alguém lendo o livro do Dan Brown agora. :-)

    O “Engenharia de Software” é bom mesmo. Para quem está na área, é uma excelente aquisição. O outro que você mencionou, eu não li ainda. Qual é o enfoque do autor?

  • Rafael says:

    Oi Ronaldo, tudo legal?
    Faz um tempinho eu li O Código Da Vinci e Anjos e Demônios, bons thrillers, achei os dois com “cara de cinema” e também gostei mais do Anjos e Demônios. Depois comecei a ler Deception Point, do Dan Brown também, mas não passei do segundo capítulo, acho que estava meio saturado pelo estilo dele… outra hora eu termino.
    Agora eu estou lendo O Retrato de Dorian Gray e O Mundo de Sofia, mas com o fim do ano e os trabalhos e provas estourando na faculdade eu estou meio lento, acho até que vou deixar para terminar nas férias (mas desconfio que não vou resistir :P).

  • TaQ says:

    Ronaldo,

    O “Free as in Freedom” é muito bom para se conhecer melhor (tentar né) o que o Stallman pensa da vida. Vale mesmo a leitura. :-)

    O “Sistemas Operacionais Modernos” eu sempre quis comprar, mas nunca comprava ehehehe mas acabei ganhando um vale-livro no meu aniversário da galera aqui (e olha que foi em Abril e nem abri o livro ainda) e peguei o dito cujo.

    Esse dos lobisomens é sobre todo o mito sobre as criaturas que trocam (trocavam?) de forma. É uma leitura muito interessante para quem gosta do assunto. Você pode conferir em
    http://www.gutenberg.org/etext/5324

    []’s

  • Ronaldo says:

    Rafael,

    Sobre os livros do Dan Brown, tive a mesma impressão. Eu li o Deception Point e o Digital Fortress também, mas é como você disse, o estilo satura. Era possível prever quase que exatamente o que aconteceria, e quem seria o vilão.O Retrato de Dorian Gray está na minha vila há um bom tempo, especialmente depois do LXG. O Mundo de Sofia é um que ainda não me atraiu.

  • Ronaldo says:

    TaQ,

    Vou ver se pego o “Free as in Freedom” para o Palm, e esse dos lobisomens também. Parece ser realmente interessante. :-)

What's this?

You are currently reading Leituras at Superfície Reflexiva.

meta