A via dolorosa

November 25th, 2004 § 7 comments

Décimo dia de academia. Depois de mais de dez anos sem fazer nenhum exercício físico regular. No começo, cada sessão parecia um massacre. Na hora de descer a escada, só o corrimão para agüentar as pernas. Pelo menos, como o instrutor disse — e eu não acreditei — as piores dores passaram depois do quinto dia.

A última vez em que em pratiquei algum esporte em uma base mais regular foi no segundo grau, nas aulas de educação física. E mesmo assim, só forçado, já que eu detestava quase tudo que se referia a esporte. Exceto por um basquete ocasional, o resto só me fazia usar a minha cota de faltas permitidas.

Eu me lembro do teste Cooper que fiz na época. Dois quilômetros em meio em doze minutos. Cheguei bufando, todo orgulhoso de completar o exercício. Só depois descobri que isso era o mínimo requerido. E a partir daí, o caminho só foi para baixa. Quando você chega no ponto de que qualquer escada deixa você meio sem fôlego, você sabe que esta na hora de fazer alguma coisa.

Eu não sei o que é pior: acordar cedo, algo totalmente incompatível com meus hábitos noturnos, ou me destruir na esteira e bicicleta. Pensando bem, tem uma coisa pior do que as duas combinadas: ver uma mulher com o dobro da minha idade levantar quatro vezes mais peso do que eu consigo e sem suar a camisa. Pelo menos eu já estou vendo algum progresso resultando dos meus esforços.

Mas, depois de dez dias, eu já estou melhor. Consigo terminar todas séries que o instrutor me passa e me esticar mais. Músculos que eu nem sabia que tinha estão doendo, mas me ajudando também. A coisa que me incomoda mesmo é a bicicleta. São só vinte minutos, mas que sufoco. Eu não consigo tirar os olhos do relógio, contando cada segundo e termino com as pernas bambas e ardendo. Dureza.

O negócio todo agora é persistência. Como diz a velha máxima: se não doer, não está funcionando. Agora, sério, academia não é tão ruim — principalmente depois dos exercícios, quando você está cheio de endorfina. Falando em endorfina, um dia desses, esperando no consultório da minha dentista e folheando uma revista de saúde, eu vi um artigo que dizia que fazer sexo dia sim, dia não é equivalente a um programa aeróbico regular. Pelo menos os resultados vão ser em dobro agora…

😛

§ 7 Responses to A via dolorosa"

  • ventonegro says:

    Muito bom Ronaldo! Um corpo com mais saúde torna a vida melhor e até ajuda a programar com mais entusiasmo! :-)

  • TaQ says:

    Você tem que ver eu. Cinco anos longe de tocar (instrumentos, seus besteirentos :-) e agora voltei com a minha ex-banda, o Nothing Face. Thrash Metal. Porrada. :-)

    Eu esperei todo esse tempo para ver se eles ficavam ricos e ganhar um bom $$$ só sentado no sofá ganhando os royalties mas não teve jeito. 😉

    Logo após os primeiros ensaios, muitas dores nos tendões da mão direita (eu toco baixo estilo pizzicato, com os dedos e não com palheta), ouvidos zunindo (devido ao volume e pancadaria do som), voz rouca (faço os backings!) e dor no pescoço (de ficar fazendo “headbanging”).

    Quando eu tocava eram quase 1kg que iam embora por show (na verdade era na maioria líquido que eu recuperava facilmente depois), imagina agora até eu pegar esse pique de “loucura de palco” de novo ehehe? :-)

    Mas como no caso da sua academia, vamos lá pegar o touro à unha ehehe. Boa sorte para nós! 😀

  • Leocadio says:

    Olá, paz e bem!

    Parabéns Ronaldo. Mens sana in corpore sano! (Acho que é assim que se escreve a máxima).

    Buscando equilíbrio físico até o cérebro agradece. Com transpiração, a tua inspiração (que é fértil) só vai ganhar.

    Resiliência meu caro.

    []s

  • Ronaldo says:

    Leocadio, Alex: Valeu pelo incentivo. Estou ralando muito, mas está valendo a pena.

    TaQ: Caramba! Mais um metaleiro. 😀 Tem um amigo meu que é muito parecido com você, com a exceção de que ele não tem banda.

    O engraçado é como a gente não imagina o que as pessoas gostam. Lendo seu blog, que fala muito de informática, eu fiquei surpreso ao saber que você gosta de metal.Eu já sou mais pop. 😀

  • TaQ says:

    Ronaldo, estou nessa vida de pauleira fazem quase 20 anos ehehe. Só não caiu o pescoço de dó ainda. 😀

    Agora, dá uma olhadinha no resto do meu site, nas seções de Música, Motoca e Fotos, você vai ficar surpreso ehehe. :-)

  • Neto Cury says:

    É isso aí meu camarada… sem esforço não se obtém resultados.
    Abração e boa sorte

  • Ronaldo says:

    Taq, dei uma olhada lá. Muito massa!

    Neto, valeu. Estou ralando, mas está compensando.

What's this?

You are currently reading A via dolorosa at Superfície Reflexiva.

meta