Ruby on Rails in Brazil

March 21st, 2005 § 7 comments § permalink

Era para ter saído mais cedo o anúncio, mas com a cirurgia todos os planos acabaram ficam meio atrapalhados.

É com prazer que Pedro Belo e eu apresentamos o Ruby on Rails in Brazil, a versão tupiniquim do site da comunidade Rails.

A concepção foi do Pedro e eu colaborei no sentido de adotar a filosofia Release Early, and Release Often para produzir algo que pudesse ser usado imediatamente e que pudesse evoluir rapidamente também com o apoio da crescente comunidade Rails brasileira.

O site conta com um blog e com um wiki (que já está aberto ao público e pronto para ser incrementado). Assim sendo, fique à vontade para colaborar e sucesso à comunidade.

Ajax hype

March 21st, 2005 § 2 comments § permalink

Ajax parece ser a nova palavra da moda entre os desenvolvedores Web — um novo modo de se referir à uma combinação de DHTML, XML e JavaScript para criar aplicações Web supostamente mais interativas e mais usáveis.

Eu não estou muito impressionado. Eu concordo com o Ian Hickson que o Ajax é apensar uma nova maneira para falar de algo que desenvolvedores já vêm usando há um bom tempo. Nada de novo, nada que já não tenha sido visto.

A única coisa diferente seja talvez a questão de branding, para a qual o Jonas me chamou a atenção em uma conversa via instant messaging. De certa forma, a palavra Ajax define uma nova maneira de pensar sobre essas tecnologias já existentes que pode levar ao surgimento de mais coisas interessantes na área, sejam aplicações, toolkits ou similares.

Mesmo assim, eu acho que o entusiasmo por trás da coisa toda é maior do que o merecido. Talvez porque eu já estou usando algo assim por mais de quatro anos. Será possível que esse seja mais um dos segredos bem guardados da indústria? Sei lá.

No começo de 2001, eu já estava usando o Tabular Data Control (TDC) no IE para evitar recarregar a página para mudanças simples, fazendo uso pesado de DHTML para montar páginas que, sem precisar de roundtrips explícitas no servidor, podiam coletar e gerenciar informação complexa com uma boa velocidade.

Alguns meses depois, foi a vez do XML e XSL para facilitar a geração de fragmentos de página que pudessem auxiliar nas tarefas acima. E com o surgimento do XmlHttpRequest, a questão ficou ainda mais fácil.

Umas das primeiras aplicações que eu criei usando essa facilidade foi um fórum hierárquico em que os galhos das conversas eram carregados de forma dinâmica para criar uma experiência mais interativa para o usuário. Funcionou muito bem. Mais tarde, eu criei um editor de fluxogramas baseado na mesma idéia.

Para mim, XmlHttpRequest e TDC são faces da mesma moeda, tanto quando SOAP e REST. Atendem a propósitos iguais e só muda a complexidade e flexibilidade da implementação. O TDC era absurdamente simples mas me atendia quase tão bem quanto o XmlHttpRequest, que de melhor tinha somente a integração mais fácil com o mecanismo XSLT do navegador.

No final, como Hickson disse, não faz sentido tratar a coisa toda como se fosse um presente dos deuses. As limitações da Web continuam a existir e pender muito para esse lado dinâmico no cliente pode causar problemas. Acessibilidade, por exemplo, é notoriamente mais complicada em uma aplicação assim (falando por experiência própria).

Obviamente, como usuário freqüente dessas tecnologias, eu não sou contra o Ajax. Só acho que o que pode ser feito deve ser julgado à luz do que já aprendemos na Web e implementado com o cuidado necessário para não perder o que ganhamos em termos de acessibilidade e usabilidade com o aumento do uso correto dos padrões.

Backlog

March 21st, 2005 § Comments Off on Backlog § permalink

Nada como ficar duas semanas parado por conta de uma cirurgia para acumular um enorme backlog de e-mails a enviar e receber, tarefas a entregar, ligações a fazer, contas a pagar e receber e outras coisas similares (sem contar que os blogs que eu leio produziram quase três mil entradas no tempo em que eu fiquei sem acompanhá-los).

Depois de uma semana resolvendo as coisas mais urgentes, a situação está mais normal, embora ainda restem pendências o suficiente para me ocupar pelo resto do mês. O problema de estar montando a sua própria empresa é mesmo quando você está doente, as coisas continuam a andar e você corre o risco de ficar para trás.

Felizmente, estou me sentindo melhor, quase 100% recuperado. Obrigado mais uma vez pelos e-mails e votos de recuperação.

Ainda vivo…

March 14th, 2005 § 7 comments § permalink

Para os leitores que devem estar se perguntando, eu ainda estou vivo — literalmente.

Os últimos dois meses foram um pouco complicados no que tange à minha saúde, e eu andei fazendo uma série de exames e consultas para determinar o que estava acontecendo, algo que, naturalmente, me deixou com pouco tempo para o blog e outras coisas similares.

Para complicar a situação, pouco mais do que duas semanas atrás, eu tive uma apendicite aguda e tive que passar pela famigerada operação. A recuperação, apesar de rápida na maioria dos casos, tornou-se complicada no meu caso por causa de uma infecção subseqüente, que prolongou o meu tempo parado.

O resultado é que esta é a praticamente primeira vez que me sento na frente do computador por mais do que alguns minutos nas últimas semanas. Aos que enviaram e-mails perguntando o que estava acontecendo, meus agradecimentos.

No mais, estou bem. Volto, mas um pouco mais lento dessa vez. Obrigado. :-)

Where am I?

You are currently viewing the archives for March, 2005 at Superfície Reflexiva.