Depurando o indepurável

January 23rd, 2007 § 7 comments

Hoje foi um daqueles dias em que oito horas se passam sem que se faça o mínimo progresso na detecção de um erro elusivo em uma aplicação que deveria estar funcionando perfeitamente–ou pelo menos, tão perto da perfeição quando possível.

Depuração de aplicação Web é um caso sempre complicado. Quando múltiplos sistemas, bancos de dados, e ambientes de instalação estão envolvidos, então, nem se fala.

Esse projeto em particular usa um driver do Informix que parece que se comportar de maneira diferente de computador para computador. No final do dia, a única certeza que eu tinha era que o problema que estava acontecendo no servidor de homologação não acontecia de forma alguma na minha máquina de desenvolvimento. O trabalho amanhã é descobrir qual é diferença crucial que está causando isso porque o resto parece estar idêntico, para todos os propósitos práticos.

Há horas em que dá realmente vontade de jogar o desenvolvimento para o alto e procurar uma atividade mais fácil como, por exemplo, cortar grama. Se desse o mesmo dinheiro, eu pegava. E de quebra, ainda ganhava alguns músculos.

§ 7 Responses to Depurando o indepurável"

  • Lorn says:

    Pior e quando uma programa esta funcionando, e voce vai dar uma olhada, ou adicionar alguma feature, olha o codigo e pensa “como isto esta funcionando?” minutos depois para de funcionar! O_o
    Isso eh bizarro.

    PS: Estou sem acentos 😛

  • É… vida de desenvolvedor é complicada.

    Vira e mexe no meu trabalho também há esses problemas sinistros entre ambientes… e o pior de tudo é que lá eu nem posso mexer no ambiente de homologação, então é na base do chute ou do google… :-/

    Quando eu me pego numas dessas, me lembro de um amigo que sempre dizia que um dia iria ser vendedor de pente na praia…
    Acho que, assim como cortar grama, vender pente na praia não deve dar muito dinheiro, mas pelo menos é menos estressante(a princípio, ao menos).

    Boa sorte na caça às bruxas :-)

  • TaQ says:

    O duro que hoje em dia você acha uns “programadores” que deviam era comer grama de tão burros que são. Se você resolvesse ir cortar grama ia acabar encontrando eles por lá no gramado e ia passar raiva do mesmo jeito. :-)

  • lsdr says:

    O pior é quando, depois de um dia e mais um pouco procurando por um problema, vc descobre que a solução é a coisa mais besta possível.

  • Rafael Rezende says:

    TaQ, falou tudo 😀

  • Neto Cury says:

    Você me fez lembrar quando eu passava noites pra achar uma diferença de alguns reais no balanço de contabilidade numa concessionária FIAT que eu trabalhava.
    Cheguei a perder dois dias inteiros atrás de um único erro…
    Não tenho nenhum pingo de saudade daquele emprego 😀
    Abração

  • Ronaldo says:

    Lorn, credo, cruzes, vade retro Satanás. Isso acontece mesmo e você fica completamente perdido depois. Magia negra e voodoo da pior espécie. :-)

    Rafael, tem hora que realmente é ótimo correr atrás de um problema, mas quando você não vê luz no fim do túnel, ou pior, vê, e a luz é um trem se aproximando a 500 quilômetros por hora, a situação realmente fica complicada. :-)

    Mas, pelo menos resolvi (aparentemente) o problema hoje: era um bug no driver que foi corrigido com a aplicação de um service pack adicional.

    Sobre o vendedor, meu plano é realmente largar a profissão aos 35, dentro de sete anos: vou ser professor de literatura. 😛

    TaQ, verdade verdadeira. Mas eu tenho meus planos. Vou me livrar dessa profissão e arrumar uma em que pelo menos dá para tirar uns pontos dos que não cooperarem. :-)

    Luiz, geralmente, esse é o caso mesmo. Aqueles lances que só outra pessoa vê. Aqui, a solução foi um upgrade no driver com um service pack. Espero que tenha realmente resolvido. :-)

    Neto, credo, isso não é serviço, isso é o purgatório na vida presente. Não que eu seja católico, mas Dante é bem poderoso em suas imagens. :-) Lembra-me do tempo que eu passei no suporte de um provedor. Também não tenho saudade.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Depurando o indepurável at Superfície Reflexiva.

meta