Web Semântica à vista, ou não

April 5th, 2007 § 9 comments

Em um típico texto feito para ser citado em duzentos milhões de lugares, o Scoble diz que finalmente entendeu a Web semântica depois de ver uma misteriosa aplicação que está sendo desenvolvida pela Radar Networks, aplicação que ele não pode mostrar, é claro. Esse truque sempre funciona, não é? Eu aqui, fazendo um link para um texto que, com perdão do trocadilho, não tem conteúdo semântico nenhum.

Bem, a tal empresa diz que vai revolucionar a Web finalmente implementando a Web 3.0, que é o nome carinhosamente reservado para a Web semântica que, nas palavras do Scoble, será uma Web onde cada informação será decomposta em suas menores unidades fundamentais e classificadas em um gigantesco balde de bits no céu de onde elas tomarão todo o seu significado. Uma Web pulverizada, como um amigo meu poderia dizer. Desnecessário dizer, entretanto, metadata equals metacrap, como mencionaria um conhecido escritor de ficção científica, e, yadda, yadda, yadda, esse é um papo velho demais para colar. O fato é, tão certo como qualquer outra verdade científica, é que a Lei de Sturgeon continua válida.

Okay, chega de ad homines espallhados ao acaso. Sabe o que realmente me diz que a Radar Networks não entende nada de Web 3.0, ou mesmo 2.0? É só olhar a página de empregos deles: os caras estão procurando gente de Java. Alguém aqui acredita que a Web 3.0 vai ser feita em Java? Tenha dó. Nem dos sonhos mais molhados dos tecnocratas da Sun. Nem o Tim Bray acredita nisso. O cara está fazendo servlets em Ruby, pelo amor de Deus!

Este foi mais um texto trazido pelos imensos benefícios de drogas medicamentais aprovadas por doutores formados. A programação normal será retornada amanhã, com um pouquinho de sorte.

§ 9 Responses to Web Semântica à vista, ou não"

  • Afonsojr says:

    Gosto de teus comentários, são claros e realistas, mas fico sempre me sentindo um peixe fora d´agua com essas expressões super-informáticas como Rubby, etc. Fazer o que, não sou do meio… Valeu! Ajr

  • Roberto says:

    Continue tomando, está até mais engraçado. =]

  • Meus Deus do céu… WEB 3.0 … aff, to no início da 2.0 ainda…. onde isso vai parar….hehehe

    feita em Java foi boa…

  • Ronaldo says:

    Alfonso, eu estou em uma fase meio tecnófila, por causa do BarCamp, mas não se preocupe. O blog é variado o suficiente. Daqui a pouco eu mudo e começo a falar de outros assuntos que não só tecnologia. Aliás, estou devendo alguns textos sobre outros assuntos…

    Roberto, o pior é que são realmente dez dias tomando um negócio porreta. :-)

    Aguinelo, um dia o povo descobre o que realmente é a Web 2.0 e começam a pensar no que a 3.0 poderia ser–ou algum avanço torna tanto a 2.0 como a 3.0 obsoletas ao mesmo tempo. De qualquer forma, não precisamos nos preocupar. :-)

  • Ronaud says:

    A web 3.0 é um termo que não existe, para algo que ainda não existe. Foi inventado por um sujeito americano que para nós é como se não existisse. Foi divulgada no NY Times que é um jornal que ninguém aqui lê. Enfim, é só pra termos assunto pra conversar, escrever, e ter algo para esperar, que como vc disse, talvez antes de vir, já esteja ultrapassado. É moda… só moda… É como vc disse, os caras dizem que produzem web 3.0 mas produzem coisas ultrapassadas… É tudo papo.

  • Ronaud says:

    Meu comentario acima foi bem pessimista, mas o que eu quis dizer e não soube fazer bem é que o que vale é o comportamento das pessoas na web e o que realmente se faz e se usa, e não os nomes “high tech” que os “pensadores” de hoje criam por ai para se ter o que falar em seus work shops para ganharem um dim dim dos afoitos por novidades e tendências… só isso…

  • Ronaldo says:

    Concordo em grande parte. Essa confusão sobre o que é e o que não é, é um processo normal e carregado de supostas novidades. O interessante é que é um processo combinatório, meio exponencial. As poucas coisas que se destacam vão sendo meio que selecionadas naturalmente, em um processo evolucionário, e se combinam para formar soluções ainda mais interessantes.

    Eu acredito que o resultado final não será a Web 2.0, 3.0 ou N.0, e sim algo novo que, ao olharmos para trás, vai nos fazer rir pelo que chamávamos de avanço. Não acho que será uma singularidade tecnológica, mas algo suficientemente interessante para ter boa parte dos seus efeitos.

  • Christian says:

    O Brasil também está a caminho da Web 3.0. Acho que ela acontecerá através de inteligência artificial. Vejam esse demo.

    []s
    Christian.

  • Ronaldo says:

    Sei não. Inteligência artificial pode e provavelmente será uma parte do que eventualmente formará a Web 3.0, mas não a base–promessas demais, ação de menos. Prefiro apostar na humanidade mesmo. :-)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Web Semântica à vista, ou não at Superfície Reflexiva.

meta