Só um pouco de exagero

Depois de assistir 300, mesmo que já se conheça algo da história, é impossível não querer aprofundar um pouco mais e entender pelo menos algo das circunstâncias da batalha. Uma das coisas mais engraçadas que eu notei é a diferença entre as estatísticas de quantos inimigos havia.

O filme de 1962, The 300 Spartans, usou o número máximo reportado por Heródoto, 5 milhões de homens, para contrapor os meros trezentos do exército espartano. Mesmo considerando o total das forças de Xerxes, esse número hoje não é aceito. De fato, as estimativas modernas ficam em no máximo 500 mil homens na batalha específica mostrada por esses dois filmes, sendo possível 200 mil o número mais correto. História sendo história, o mais provável é que nenhuma das duas estimativas seja verdadeira.

Mas o que eu acho engraçado nessa estória toda é ouvir no cinema algumas pessoas comentando a diferença. Um rapaz que eu escutei na sessão disse todo sério, para seus ouvintes: “Antigamente se pensava que a batalha tinha envolvido dois milhões de soldados do lado dos persas; hoje o número aceito é cerca de meio milhão, bem mais realista”. Só um detalhe: havia 7 mil soldados gregos na batalha, comandados pelos espartanos. Considerando 500 mil como um número correto temporariamente, isso dá só 70 soldados persas para cada soldado grego. Aí eu penso: se fossem 200 mil faria alguma diferença? Como se Leônidas fosse acordar de manhã e pensar: são só 200 mil soldados, 30 para cada um dos nossos. Muito melhor que setenta, não?

Só um pouquinho de exagero mesmo.

7 Replies to “Só um pouco de exagero”

  1. Também tô super afim de ver este filme… sem tempo mesmo 🙂

    Mas especificamente este seu texto me lembra uma pregação de um pastor (presbiteriano)…

    Ele cita uma passagem da bíblia (sorry, não tenho o hábito de guardar) em que um exército com poucos soldados vai lutar com um maior…

    E então o comandante vai reduzindo o número de soldados até que fique algo bem desproporcional…

    Será que estas duas histórias (a da Bíblia ea do filme) são as mesmas?

  2. Sergio Lima,
    acho dificil serem as mesmas, somente se for no velho testamento pois
    a historia dos 300 de Sparta se passa 480 anos antes de cristo…e mesmo assim eles acreditavam em varios deuses….

  3. Aguinelo, você já deve ter assistido uma hora dessas, com a demora da resposta, mas, se ainda não foi, vá. O filme, mesmo que fosse só pela parte gráfica, já serviria de diversão. Mas é bem montado, conta uma boa história e dá uns bons pontos de reflexão. Nada mal para um filme de “ação”.

    Rafael, vinte pilas!? Cara, aqui, doze eu já estou achando um absurdo em fim de semana. 🙂

    Walter, deve ser o equivalente do nosso Pampulha Mall. Oito reais no fim de semana, se o filme não queimar na metade do caminho. 😛

    Sérgio, como apontaram os outros comentários, a história de Gideão ocorreu aproximadamente 700-800 anos antes da batalha de Termópilas. Mesmo considerando uma visão não-cristã e dizendo que a história é uma estória e que foi escrita bem depois, no tempo de Esdras, ainda temos pelo menos uns 100 anos antes de Esparta escrespar para o lado dos persas. Acho difícil ter alguma relação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.