IR

April 28th, 2007 § 4 comments

É impressionante como todo ano, apesar de fazer a declaração de renda com o maior cuidado, sempre fica aquele frio na barriga, o pensamento de que talvez você não tenha preenchido algo com cuidado–por não saber ou entender–e que, por causa disso, possa vir a enfrentar burocracia e complicações para provar que um engano não passou disso, um engano, que o mesmo não foi nenhuma tentativa de sabotar ou escapar ao sistema. É realmente impressionante como o que deveria ser algo simples se converte em um ritual tortuoso e uma fonte de pesadelo para milhões de pessoas todo ano. E ainda dizemos que somos civilizados.

§ 4 Responses to IR"

  • André Pessoa says:

    Ronaldo, você está enganado. A Receita Federal é razoavelmente tolerante com pequenos erros. Eu sei disso porque todos os anos eu esqueço de incluir os comprovantes bancários, com os saldos das contas e tal, e nunca tive minha declaração retida.

    O que eu tenho, na verdade, é curiosidade para saber como é o software que faz a filtragem do que vai ou não vai para a malha. Será que tudo é revisado por um auditor? Acho que não.

  • Ronaldo says:

    Opa, André! Tudo bom?

    Pode ser até exagero meu, mas a sensação que eu tenho todo ano (e basicamente todo mundo que eu conheço sente a mesma coisa) é que há um certo “terrorismo” em torno da declaração. :-)

    O pior é que até mesmo os alertas dentro do programa contribuem para isso. Você vai preenche algo e esquece alguma coisa e: “Boing! Se você não preencher isso, suas chances de cair da malha aumentam”. Recebi vários avisos desses enquanto preenchia a minha. Isso é horrível. 😛

    Sobre a auditoria, imagino que o software cuspa uma lista de declarações potencialmente suspeitas dentro de certos parâmetros e que um auditor realmente revise por algum critério macro. Mas é só imaginação mesmo. :-)

  • Witaro says:

    Pior que são muitas regras/exceções mesmo, eu até percebi que tentaram deixar elas mais claras em manuais ou inserí-las no próprio sistema (esse caminho é ótimo!), mas às vezes fica aquela sensação que um contador pode ser a melhor pessoa para lidar com aquilo. Fico pensando em como o ser humano burocratiza/complica processos/temas criando desdobramentos em cima de desdobramentos motivados por sentimentos de desconfiança ou falhas de comunicação/compreensão. Isso acaba criando uma linguagem muito própria para lidar com o que inicialmente poderia ser mais simples e, assim como muitas linguagens, acaba crescendo e ganhando força. Graças a isso temos os “intermediários especialistas em blábláblá”: Advogados, Contadores, Gerentes de Software, Programadores de Java (eu sou! hehe), etc. Mas isso não é tão problemático se esses “Senhores do domínio” criam boas interfaces com os outros seres, do contrário podem surgir frases como daquela usuária do sistema que fizemos lá na empresa: “Eu olho para aquela tela e fico com medo de errar”. Nós que erramos, querida, nós que erramos…

  • Ronaldo says:

    Pois é. É isso tudo que dá essa sensação horrorosa. Eu aplaudo a iniciativa do governo, de fornecer um programa para facilitar a vida e agora espero que eles possam dar o próximo passo e melhorar a usabilidade do mesmo. Um dia, se tudo der certo, a sensação passa. :-)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading IR at Superfície Reflexiva.

meta