The good, the bad, and the ugly

May 10th, 2007 § 12 comments

The Good: Eu, aparentemente, não estou com pancreative nem pedra na vesícula.

The Bad: Eu continuo a ter sintomas estranhos e os médicos não tem a menor idéia do que é.

The Ugly: Eu só dormi 18 horas nos últimos seis dias. Isso é o equivalente de uma tonelada de crack de uma vez só no último dia.

§ 12 Responses to The good, the bad, and the ugly"

  • Eu não sou médico, mas deixo o meu conselho. Vai com calma tchê. A vida é curta, tens mulher e filho e, sono perdido não tem cura. Pelo que vi, gosta de aparelhos para ficares conectado. Eu não tenho celular e nem uso relógio. Separa um tempinho para olhar borboletas e pisar na grama com a familia. Diminui a tua meta de ler trocentos livros e ver outros tantos seriados. Se eu que não te conheço pessoalmente não gostaria de te perder, imagine os teus entes mais próximos.

    Sucesso e saúde.

  • Ronaldo says:

    Muito obrigado mesmo pelas palavras. Significaram muito para mim. Eu realmente preciso de melhorar um pouco (!) o meu estilo de vida. Essa semana, depois dessa maratona, já dei alguns passos para resolver a situação. Preciso só me esforçar um pouco.

  • Walter Cruz says:

    Olhe os lírios do campo mais vezes :)
    Em Brasília, como não tem muitos campos nem muitos lírios, eu olho os ipês. Acho que o efeito é o mesmo.

  • Luiz Rocha says:

    +1 para a idéia do Guaracy.

  • Ronaldo says:

    Walter, para falar a verdade, eu nunca reparei muito os canteiros de flores e as àrvores aqui em BH. O máximo que me chamou a atenção foi algum comentário da esposa sobre o cheiro de uma ou outra, principalmente à noite. Dá para você ver o distância que estou do ideal…

    Luiz, com vocês dois, eu acho que não vou ter opção, não é? :-) Falando mais sério, valeu pela força, me’rmão. :-)

  • TaQ says:

    Rapaz, eu dei uma capotada semana passada também. Dores no abdomen, raio-x e hemograma não deram nada e vou ver se rola um ultrassom hoje ou amanhã. Ainda estou com umas dores estranhas e vamos ver que diabos que é isso.

    Para completar, assisti aquele filme “Click”, com o Adam Sandler. Recomendo para pensar na vida.

    Depois disso tudo, uma coisa é certa: fim de semana não fico mais pendurado no computador. Não me mandem emails aos Sábados e Domingos que não leio nem respondo. Se for algo urgente, tem o celular mas eu volta e meia esqueço de carregar, então … 😉

    Mais detalhes no meu blog depois que eu fizer o tal do ultrassom. Mas que diabos – é epidemia em geeks, alguma coisa tipo Heroes, ou o que?

  • Khaoz says:

    Buenas Ronaldo.
    Tem um conhecido meu que deitou 20 dias depois de travar. Literalmente tinha dificuldades para se mexer e o diagnóstico foi um só: stress. Tenho colegas de trabalho que já passaram por isso também.
    Segue a dica do TaQ: Assista o filme Click e procura curtir a vida. Parar para olhar uma chuva da sacada, dar uma caminhada, sentar na praça. Se for do sul, um bom chimarrão agora no inverno no aconchego do lar com a esposa, pipocas e filme é show de bola.
    Há muito tempo que a partir do sábado ao meio dia, até segunda as 08:00 da manhã que eu só sento no computador para dar uma jogadinha quando minha esposa esta fazendo alguma coisa na qual eu realmente não posso participar. De resto todo o tempo é dedicado a ela e a tranquilidade.
    Melhoras para você.

  • Ronaldo says:

    TaQ, e aí, alguma novidade sobre o que aconteceu? Fez o ultrassom? Eu ainda continuo com um episódio ou outro, mas a dipirona está controlando. :-)

    Quanto ao “Click”, eu vi. O problema é meio aquele mesmo. O difícil é traçar uma estratégia decente de escape. 😉

    Khaoz, eu estou tentando. :-) O problema é que com empresa própria, você fica em uma sinuca. Tem coisas que você tenta não fazer mas que se provam meio impossíveis na prática. Uma hora, se Deus quiser, eu acho um balanço. Espero que seja em breve.

    Valeu pela força. :-)

  • TaQ says:

    Fiz o ultrassom e na parte de cima do abdomen, que era onde estavam as dores, está tudo zero bala, graças a Deus. Na parte de baixo não sei, mas o médico resolveu não pedir mais exames já que as dores estão diminuindo (hoje só senti dois “pontinhos”), e pediu para eu voltar se elas voltarem. De repente, foi stress mesmo, sei lá. Mudanças de hábitos aqui na empresa também …
    Só sei que de fim de semana, tchau computador.

  • Ronaldo says:

    É impressão minha, ou atualmente os médicos brasileiros estão com preguiça de diagnosticarem as doenças? Tudo é stress e virose. Onde está o “do no harm” (estou vendo Plantão Médico demais).

    Agora, sério, você vai me hospitais e eles fazem os exames básicos e se não dá nada óbvio, ausência de evidência se torna evidência de ausência. Incrível mesmo.

  • Walter Cruz says:

    Ei, Ronaldo, vc quer ser diagnosticado pelo Dr. House?

    Eu deveria me proíbir computador, pelo menos aos domingos 😛

  • Ronaldo says:

    Bem que eu queria ser diagnósticado pelo House mesmo. A humilhação seria grande, mas pelo menos eu saberia definitivamente o que é. Quer dizer, se alguém não decidisse me matar com algum tratamento heterodoxo. :-)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading The good, the bad, and the ugly at Superfície Reflexiva.

meta