Lady in the Water

May 30th, 2007 § 3 comments

Fairy tales are more than true: not because they tell us that dragons exist, but because they tell us that dragons can be beaten.

G. K. Chesterton

Surpreendentemente, gostei do último filme do Shyamalan, Lady in the Water. Era o único que eu ainda não tinha visto, e estava propositadamente enrolando porque, além do fato do filme ter fracassado comercial e criticamente, eu duvidava que Shyamalan fosse capaz de repetir alguma coisa da magia que ele conseguiu em seu primeiro filme.

Lady in the Water parece quase um retorno, uma maneira de Shyamalan voltar atrás e esquecer um pouco da necessidade de superar cada filme anterior. É um conto de fadas, e não um suspense. É auto-consciente, e não tenta tirar o olho do espectador do que está na tela em busca de surpresas cada vez maiores. E sendo assim, acho que funcionou muito bem. As pequenas falhas–como os momentos em que o filme exagera nessa auto-consciência–são até perdoáveis face às suas outras qualidades. É possível compreender porque fracassou, frente ao toda expectativa gerada em torno do mesmo, mas uma segunda visita faria bem aos críticos mais ferozes.

Não sei se no próximo filme, Shyamalan vai tentar exagerar novamente, mas estou disposto a dar uma nova chance ao diretor e ver se ele consegue contar mais uma vez uma boa estória sem se preocupar tanto com efeitos.

§ 3 Responses to Lady in the Water"

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Lady in the Water at Superfície Reflexiva.

meta