Revoluções e evoluções

May 31st, 2007 § 8 comments

Quando todo mundo estava pensando que a curva tecnológica estava maneirando, a semana prova que mesmo desenvolvedores vão acabar padecendo de choque futuro muito em breve. Exageros à parte, a semana está sendo bem interessante em termos de anúncios de novas tecnologias, com direito até a encontros históricos.

O Microsoft Surface deve ter deixado até os competidores que estão desenvolvendo tecnologias similares em um estado meio frenético. Pela primeira vez em 10 anos eu me sinto empolgado com algo que a Microsoft lança. Não necessariamente pelo objeto em si, que somente estará disponível inicialmente para pessoas jurídicas e mesmo assim será muito caro, mas porque significa que o problema desse tipo de tecnologia está muito próximo de ser resolvido. Assim como a Xerox mudou a indústria com a GUI, há quase 30 anos já, a explosão desse tipo de tecnologia será uma nova revolução. Não duvido que em um ano já tenhamos cinco ou dez implementações similares no mercado.

Google Gears é uma implementação funcional de uma idéia que já estava sendo aplicada como tecnologia fechada em alguns projetos como o Zimbra. O que obviamente vai acontecer agora é uma explosão de aplicações com esse tipo de funcionalidade.

O que eu acho mais interessante nesses dois anúncios é que eles mostram que não há como prender uma tecnologia, por mais que as empresas tentem fazer isso. Mesmo que a Microsoft não disponibilize uma interface sobre o Surface, isso vai aparecer de uma forma ou de outro, mesmo que em outra plataforma competidora que se torne ainda mais aberta.

O fato é que tecnologias estão convergindo em um passo nunca visto e que continua a acelerar tanto quanto a expansão do Universo. Eu fico pensando em somatórias como Google Gears mais S3 e EC2 da Amazon mais outras tantas coisas interessantes que estão surgindo e fica a certeza de que, em um ponto muito próximo do futuro, o desktop desaparecerá.

Não é mais uma questão de se, mas uma questão de tempo.

Atualização: Como citado nos comentários abaixo, existem já tecnologias superiores ao Microsoft Surface. O que me empolgou mesmo é que o Microsoft Surface está disponível agora, o que vai forçar outros competidores a correrem atrás e lançarem seus produtos, beneficiando os usuários no processo.

§ 8 Responses to Revoluções e evoluções"

  • Witaro says:

    Sobre o Surface: Procura no youtube: “Multi-Input Touch Screen”. Essa parece ser a nova “fonte inspiradora” da MS. Interessante imaginar como as coisas funcionam por trás das cortinas… Um dos comentários no video de lá: “Surface uses cameras for its multitouch so it is ten times less accurate than this display, and this is one of his old ones. Jeff Han’s OS [que parece ser baseado em linux] is also just so much more advanced. It does real time physics and everything. Surface is a childs toy compared to this”. Mas é bem verdade que algumas boas idéias não possuem fronteiras… Ou pelo menos não deveriam.

    Sobre o “Google Gears” parece ser o trabalho que servirá de base para a mesma funcionalidade no Firefox, não? Pelo menos nesse caso, além de idéias, há compartilhamento de desenvolvedores… E aqui temos uma palavra que julgo realmente trazer revolução para nossas vidas, “compartilhamento”.

  • Ronaldo says:

    Concordo absolutamente que o display do Jeff Han é muito mais avançado. Ainda tenho até o bookmark aqui de um demo que ele fez para o pessoal do FastTV. O que me empolgou no Surface não foi só a tecnologia, até porque eles mencionaram várias limitações iniciais incluindo coisas que os demos ainda só fazem para demonstração e não como padrão. O que me empolgou mesmo foi que o Surface já está à venda em um futuro próximo. E isso vai forçar todo mundo a evoluir. Como muitas vezes acontece, não é a melhor tecnologia que vence, mas a que está no mercado mais rápido. Se a Microsoft solta o Surface, outras empresas vão fazer o mesmo. No vídeo do Jeff Han que eu vi, ele diz que a tecnologia dele estaria no mercado daqui a quatro ou cinco anos. Se ele esperar todo esse tempo, será ultrapassado, mesmo sendo incomparavelmente melhor.

    Sobre o Google Gears, tinha um artigo na Read/Write Web que estava postulando a mesma coisa. Como sempre há rumores que o Google anda trabalhando por trás das cenas com o Mozilla, não duvido. O bom é que se há essa base comum e mais um plugin para outros navegadores, um monte de problemas são resolvidos de cara. E usar o SQLite foi uma jogada de mestre, principalmente porque o Symbian já vem com o SQLite e é uma plataforma natural de convergência.

  • Pois é Ronaldo, a evolução continua, até escrevi um post dizendo que o futuro está cada vez mais perto, não tinha lido seu texto antes senão tinha citado.

    Abraço

  • Ronaldo says:

    Acho que todos ligados em tecnologia estão percebendo que o futuro está chegando mais rápido do que eles mesmos podia imaginar ou perceber. É bom e é assustador em alguns aspectos. :-)

  • Na verdade não achei assim tão inovador o Surface. Não consegui enxergar uso prático da tecnologia. Apesar de ter assistido aos vídeos de lançamento, não acho que vai ser algo assim tão impactante. Provavelmente vou falar UAU a primeira vez que entrar em contato com o Surface, mas sei lá, não me empolguei.

  • Ronaldo says:

    Bem, quando eu vi a apresentação de Jeff Han e depois o Surface, a minha primeira impressão foi de que aquelas cenas em filmes de ficção científica onde as paredes são virtuais e se configuram de acordo com a vontade dos habitantes da casa ou dos usuários de um escritório estavam se tornando realidade.

    Não é tanto a possibilidade de interagir com a superfície, algo que já é possível (em forma limitada, é claro) com touchscreens. Nesse aspecto, o Surface realmente não é inovador, é apenas uma evolução. A revolução é que a convergência está se tornando um imperativo, e o Surface demonstra isso. Claro que os demos são exagerados, claro que a realidade ainda não é aquela, mas a disponibilização comercial de algo assim é um passo enorme.

    Essa é uma segunda revolução em desktop que só vamos ver completa em alguns anos. Atualmente, você é obrigado a seguir a informação. Com o tempo, a informação está passando a seguir você. Pode parecer que não tem nada a ver isso com o Surface, mas eu acho que tem tudo a ver. Mais uma vez, acho que não é a superfície interativa, mas a consciência do ambiente. Isso é ouro.

  • Witaro says:

    Apenas para efeito de registro. Demo recente do trabalho do Jeff Han (até o “stream video player” que o cara usa é melhor, he):
    www dot perceptivepixel dot com

    Mas é verdade, o grande barato é a convergência dessas novas tecnologias todas (ou como gosto de pensar, “_Compartilhamento_ de interfaces”).

  • Ronaldo says:

    Compartilhamento de interfaces é um nome bem apto para o processo. Imagine a questão da Xerox vs Mac vs Windows. Se a GUI tivesse ficado presa por patentes, estaríamos perdidos. E foi uma coincidência brava.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Revoluções e evoluções at Superfície Reflexiva.

meta