A suposta novela do traffic shaping

June 20th, 2007 § 13 comments

O assunto de traffic shaping é um tema recorrente entre os usuários de banda larga no Brasil, que se pronunciam descontentes e desrespeitados pelas medidas tomadas pelas operadoras. Como consumidor e usuário de banda larga, eu acredito que é realmente falta de respeito não ser claro sobre a questão. Por outro lado, é fácil entender que a verdade, como sempre, está lá fora.

Tome o meu exemplo:

Primeiro fato, eu possuo: de dois anos e pouco para cá, um plano de 4Mbs da NET (inicialmente 600kbps, subiu para 4Mbs depois da entrada do MegaFlash). Durante esse tempo, barrando as quedas ocasionais, eu sempre consegui os 4Mbs. Obviamente, nem todo servidor externo agüenta isso e há limites. Mas para downloads vindos de espelhos da SourceForge e PUC-PR, por exemplo, é muito fácil obter essas velocidades.

Segundo fato: contratualmente, a NET pode limitar a minha velocidade ao mínimo (200kbps) se eu exceder a franquia de 40GB/mês, restaurando a velocidade no próximo ciclo.

Terceiro fato: isso nunca aconteceu. Olhando minhas estatísticas do último ano, eu rotineiramente ultrapassado 70GB/mês sem que haja qualquer penalidade, e eu não sou, de longe, um usuário freqüente de P2P. Eu suponho, sem conhecer as características técnicas da rede da NET, que essa carga é distribuída entre os usuários de modo que quem usa pouco compensa quem usa muito. Em outras palavras, certos usuários pagam pelo consumo excessivo de outros.

Quarto fato: se a NET passar a exercer o contrato, aqueles que reclamam de traffic shaping–que geralmente são usuários de maior peso por consumirem muito material via P2P e Torrents, vão ver sua banda cair subitamente para 200kbps lá pelo décimo dia do mês (considerando um consumo mensal de 120GB sobre um plano de 4Mbps, o que duvido que seja uma máxima) e não vão poder fazer nada, sendo obrigados a navegar com limitações pelo resto do mês.

Resumindo: embora eu não aprove falar nada sobre as práticas, eu deixaria a situação como está. É muito melhor sofrer um certo traffic shaping do que, repentinamente, perder a banda contratada por exceder a franquia. Querer que as duas coisas aconteçam é querer abusar sem pagar por isso.

Um complemento posterior: Quando eu digo, eu deixaria a situação como está, eu digo que, no momento, essa é uma medida efetiva para controlar alguns aspectos necessários do tráfego já que, para copiar uma provérbio antigo, banda não brota em árvores. O que eu gostaria, é claro, é de ver soluções propostas para isso que levem em conta todos os fatores envolvidos. Achar que soluções mágicas acontecem do dia para noite simplesmente não é produtivo.

§ 13 Responses to A suposta novela do traffic shaping"

  • Clovis says:

    Bem, Traffic Shapping ocorre sim em algumas operadores, ja vi vários relatos quanto a isso.

    Agora quanto as limitações de banda várias operadores impoe essa clausula no seu contrato, mas pouquissimas cumprem. o que é bom para nos.

    Eu possuo um plano da GVT e com certeza ja ultrapassei os 40gb do contrato e nao tive minha velocidade reduzida.

    A unica coisa que nao concordo com vc é deixar de lutar por nossos direitos. Nós pagamos caro para ter uma ADSL capada, sendo que uma conexão de 10mbps la fora custa 29 dolares sem nenhuma limitação!!!

    Eu sou a favor do protesto anti-shaping e anti-banda fixa…
    no começo do acesso a internet discada foi assim (limitada) e conseguimos mudar (ilimitada). Quando surgiu adsl normal tb.. e agora com a adsL2 não vai ser diferente,
    temos que lutar pelos nossos direitos.

  • Ronaldo says:

    Tudo bom? Eu não sou, de forma alguma, contra lutar contra os nossos direitos. Lendo o que acontece aqui e no resto do mundo, eu tenho certeza de que uma política de vigilância é sempre necessária para garantir um bom atendimento. E não só em banda larga, como em outros serviços relacionados.

    O que eu acho, porém, é que temos que ter consciência dos limites que existem. Eu estava conversando esses dias com um engenheiro que trabalha na área de informática de uma grande empresa aqui de BH e ele estava me falando sobre essas questões de tráfego, backbone e questões atuais do controle do tráfego no Brasil. E o que acontece é que hoje nos estamos em uma situação muito boa em relação à banda larga, considerando como um todo. E não acha que dá para comparar com um 10Mbps sem limites, até porque, como AT&T e outros demonstraram recentemente, isso não existe na prática. O que temos que focar não é nesses detalhes, mas em forçar o governo a investir mais na capacidade de banda para fora, que hoje é o grande gargalo.

    Temos que ser coerentes. Uma coisa é a NET fazer traffic shaping e distribuir a carga e manter um certo valor. Outra coisa é ela dizer, tudo bem, não há franquia, nem shaping, e o valor agora é cinco vezes maior. Essas coisas acontecem por mercado. Olhando a evolução, o Brasil tem um histórico bem positivo nessa área, digam o que disserem. Não que tenhamos que ficar passivamente esperando acontecer. O consumidor vai sempre para quem der a maior vantagem. Mesmo assim, infra-estrutura tem custo e não adianta imaginar que algo vá acontecer magicamente. O que eu notei no texto foi essa incoerência: o pessoal quer usar além do contratado e não pagar por isso. Se o contrato está ruim, negocie uma alteração. Mas dois erros não fazem uma coisa ficar certa.

    Nossa, isso ficou quase maior do que o texto. :-)

  • Pedro Belo says:

    Mas o traffic shaping que gera tanta polêmica e confusão (até onde sei) não é o de baixar a banda do cara que excedeu um certo limite — mas o de limitar banda para P2P de forma indiscriminada.

    Talvez tenham dado o nome errado pra coisa?

  • Ronaldo says:

    O nome é esse mesmo. Não sei se foi o texto que ficou confuso, mas eu estava apontando sobre a incoerência de reclamar de um enquanto aproveita o outro calado.

    Acho que um grande fator por trás do traffic shaping está nos perenes limites de upload. Embora a maior parte do impacto esteja entre usuário/provedor de banda larga, com P2P há uma saturação inerente que pode prejudicar o funcionamento da rede. Eu não acredito que traffic shaping seja a resposta técnica ideal, mas é uma resposta que a operadora pode tomar de houver provisões contratuais assim como ela pode limitar a franquia.

  • Pedro Belo says:

    aah! neste caso não posso concordar menos :) hehe

  • Ronaldo says:

    Heheheh. Eu acabei complementando o comentário depois de lhe enviar a resposta por e-mail, mas concordo em discordar. :-)

    O que eu ainda gostaria de ver uma solução sólida proposta que leve em conta os fatores reais. Continuando achando incoerente reclamar de algo e assumir simplesmente que a solução é mágica.

  • Thomaz Leite says:

    Eu concordo com o Ronaldo. Não adianta lutar por uma banda limpa se o sujeito for chorar mais tarde quando ultrapassar o limite mensal e perder 95% da conexão. E traffic shaping não é coisa de brasileiro, tem no mundo todo.

    Deixa como está. Ninguém reclama de traffic shaping quando se tem protocol encryption… 😉

  • geekbr says:

    caraca! sandvine com 80gbps filtrados em um UNICO appliance
    eles (NET) tao evoluindo rapidinho
    nobody: la vem .. “ha .. é bsd ”
    geekbr, o OS eh bsd-derived, assim como juniper
    geekbr, ele eh um appliance caixa fechada com software e hardware, ao invés de gastar dinheiro ampliando os links, gastam dinheiro ferrando com os que já existem :/
    ha, to ligado .. estamos falando de policy traffic switch
    exato e sai mais barato pq link vc paga por mes, appliance voce paga uma vez, paga uma vez e se fode todo mês
    e ai faz uma politicagem com o governo de “investimento no desenvolvimento da internet no brasil” e consegue um emprestimo a 8.75% ao ANO, e depois nunca mais paga iso
    assim que o brasil funciona
    enquanto o povo que quer fazer um emprestimo pra comprar casa popular paga 5% AO MES, deprimente

    fica ai um papinho com uma pessoa que “supostamente” e bem “supostamente” conhece a infra da Net !!

  • Ronaldo says:

    Se eu entendi bem a conversa críptica e fora de contexto, a única coisa que a conversa releva é que a NET faz traffic shaping. Ora, isso é justamente o que eu assumi no texto.

    O que eu continuo a afirmar, como disse no texto e nos comentários é que reclamar de uma coisa enquanto se aproveita outra é, no mínimo incoerente, e que a solução é outra. Aliás, a conversa sua revela justamente o que eu apontei no texto seguinte no blog: que a solução é arrumar o governo primeiro.

    Em última instância, reclamar de traffic shaping só vai causar uma coisa: as operadores vão começar a coibir com base na franquia, o que é muito pior. O melhor é, como o Doctorow sempre diz, rotear o problema usando criptografia, mudança de portas, etc, etc–soluções, inclusive, apontadas por outras pessoas.

  • André Pessoa says:

    Eu sou assinante Net Virtua há mais de 1 ano em São Paulo e eu não acho que eles façam traffic shaping. Aqui o eMule às vezes está ruim e às vezes está bom. O Bit Torrent está sempre perfeito. Em ambos os casos, eu não uso qualquer tipo de criptografia, e já constatei que os problemas no eMule ocorrem tanto com ou sem criptografia, o que parece indicar um problema de configuração de rede, e não de traffic shaping.

  • geekbr says:

    e ai faz uma politicagem com o governo de “investimento no desenvolvimento da internet no brasil” e consegue um emprestimo a 8.75% ao ANO, e depois nunca mais paga iso

    Basicamente este investimento deveria ir pra largura de banda para atender o que ofertam, só que eles preferem comprar traffic switch’s.

    Estes valores de investimentos foram solicitados ao bid, e conseguiram uma boa grana.

    Se eles imporem a cota de limite de down, que o facam a todos. Só que se eles fizerem isso vão perder muito do mercado que estão conseguindo agora, e a telefonica está chegando com seus planos monstros pra fazer frente a acão da net

    Mudar portas, criptografar protocolos etc, isso pode até ser paleativo, mas no caso do torrent, voce perde seed e leacher .. pois só conecta em outros clientes com criptografia ativa.

    Agora se achou o papo em cima ai fora de contexto, parabens, por que pra uma pessoa que fala em
    Se eles imporem a cota de limite de down, que o facam a todos. Só que se eles fizerem isso vão perder muito do mercado que estão conseguindo agora, e a telefonica está chegando com seus planos monstros pra fazer frente a acão da net

    Mudar portas, criptografar protocolos etc, isso pode até ser paleativo, mas no caso do torrent, voce perde seed e leacher .. pois só conecta em outros clientes com criptografia ativa.

    Agora se achou o papo em cima ai fora de contexto, parabens, por que pra uma pessoa que fala de “Coisas de geeks” e tem um site em Copyrights ©

    Parabéns reacionário !!

  • Ronaldo says:

    Antes que isso degenere em uma discussão sem sentido, um esclarecimento: quando eu disse “fora do contexto”, eu não disse fora do contexto da discussão; antes eu disse que a parte citada não tinha contexto para referenciar e, portanto, ficava críptica. Obrigado pelo esclarecimento no comentário.

    Eu não tenho informações sobre o que você disse em relação ao investimento, mas não duvido que possa ser verdade. E volta ao ponto que mencionei: a solução é bater com o governo. As operadores de banda larga obviamente aproveitam da “moleza” do governo como aproveitam todos os outros negócios. A maneira de forçar as coisas a mudarem é investir em uma ação política específica.

    Sobre medidas paliativas, também concordo. Mas, frente à reclamação de que o problema é *tráfego*, acho que você tem que concordar que, a príncipio, é melhor traffic shaping que pode ser evadido do que banda cortada.

    Quanto à entrada da Telefônica, sinceramente duvido que mude alguma coisa. Depois que a NET mudou seus planos para o tal do MegaFlash, as outras tiveram que correr atrás, mas, pelo que deu para observar durante esse período, a disponibilidade geral continua subindo muito lentamente em termos de área coberta. Com as áreas limitadas, qualquer entrada nova tem efeito muito reduzido. Aqui em BH, por exemplo, a não ser que a Telefônica decida migrar para Minas também, duvido que faça alguma diferença a médio prazo. Obviamente, quero estar errado porque qualquer coisa que force a NET, Velox, Way e similares a baixar os preços aqui é bem-vinda. Resolver o mercado de São Paulo pode até resolver muita coisa, mas existem outros mercados com condições piores.

    Em relação a “escrever coisas de geek”, acho que escrevo sim. 😉 Afinal de contas, a maior parte do meu blog é sobre tecnologia ou “geek stuff”. Não me considero um reacionário, embora anarquia seja uma posição política querida depois de “Os Despossuídos”.

    Por fim, quanto ao “copyrights”, não tinha notado. 😀 Como poderia ser facilmente percebido por uma verificação do tema padrão do WordPress que estou usando, a palavra vem do rodapé padrão do mesmo. Um dia, se a preguiça deixar, eu troco o tema…

  • Pois é, brabeira mesmo…

    Mas escrevi um tutorial sobre como eliminar o Traffic Shaping usando uma VPN…

    Dá só uma olhada:
    http://urucubaca.com/tag/traffic-shaping/

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading A suposta novela do traffic shaping at Superfície Reflexiva.

meta