Falta de criatividade

June 5th, 2007 § 3 comments § permalink

The Freelancer’s Toolset: 100 Web Apps for Everything You Will Possibly Need é uma excelente listas de aplicações Web (2.0) para profissionais autônomos com necessidades múltiplas e com relativamente pouco dinheiro.

Ignorando o mérito da lista, entretanto, faça uma experiência: escolha uma categoria qualquer na lista e abra todos os sites da mesma. Depois, compare os designs dos sites e veja se não são quase a mesma coisa. É uma falta de criatividade extrema. Tudo bem que sites com o mesmo propósito tendem a ser parecidos. Mas quando o que muda é uma coisinha ou outra, alguma coisa está errada.

Blogs que me fazem pensar

June 5th, 2007 § 4 comments § permalink

O Sérgio me marcou na meme de blogs que lhe fazem pensar e eu continuo aqui. Como ele, minha lista é incompleta, mas vou fazer um esforço:

Sérgio Lima
Não é puxação de saco, não. O Sérgio é professor de física e tem uma visão particularmente única da tecnologia e suas aplicações. Seus textos sempre me fazem refletir sobre as coisas que às vezes vemos ou lemos igualmente, mas que ele interpreta de uma maneira completamente diferente–enquanto eu muitas vezes penso em tecnologia por tecnologia, ele sempre vê o lado humano da coisa.
Luiz Rocha
Mesmo que ele não tivesse sido o meu guia em São Paulo, durante o BarCamp, indo ao ponto de me arrumar um hotel quando eu deixei para a última hora, eu o mencionaria. Não posta com tanta freqüência, mas quando escreve um texto novo sempre oferece uma visão experiente da questão (ou insana, dependendo de como ele acordar). :-)
Guaracy Monteiro
Meu guru programático espiritual, o Guaracy só aparece no blog dele quando certas configurações espaço-temporais estão presentes. Mesmo assim, nunca deixo de aprender uma coisa nova quando ele escreve.
George Dvorsky
O blog desse sujeito, Sentient Developments foi um desses raros achados na Web. Ele publica freqüentemente e, sendo budista, tem uma visão bem diferente de tudo, com um balanço fascinante entre tecnologia, humanismo e conhecimento. Vale a pena cada texto escrito.
Charles Stross
A mente que escreveu Accelerando (grátis!) e Glasshouse não poderia ficar de fora. Os ocasionais textos que ele escreve sobre política, filosofia, tecnologia e outros assuntos são ensaios completos e muito bem pensados.

Como o Sérgio disse, não dá para falar de todo mundo, mas eu raramente incluo uma pessoa em minhas leituras diárias se ela não escreve consistentemente bem, o que dá no mesmo dizer que todas me fazem pensar. Mesmo os malucos.

Palm Foleo

June 5th, 2007 § 2 comments § permalink

Eu posso estar muito enganado, mas o Palm Foleo é um produto que não só nasceu atrasado como não resolve problema nenhuma que já não esteja sendo resolvido. Com as recentes notícias da Via, Asus e Intel, a idéia de que ele tenha um nicho no mercado está ficando cada vez mais distante. Quem comprar vai se arrepender.

Sinto muito, Sérgio, mas não deu para empolgar mesmo. 😉

Rails para sua Diversão e Lucro, o balanço

June 4th, 2007 § 5 comments § permalink

Quando lancei o tutorial Rails para sua Diversão e Lucro, sabia que a comunidade precisava de um tutorial que mostrasse mais do que o simplesmente básico, mas não sabia que ele seria tão popular.

Hoje, quase 15 mil downloads depois de oito meses, somente contados do meu site, acredito que ajudou bastante gente a conhecer o que na época era praticamente uma ferramenta nova e não muito conhecida. Um busca básica no Google revela também que o tutorial se espalhou e deve ter sido baixado muito mais vezes de outros locais e espelhos.

E se hoje ele está um pouco ultrapassado, mesmo assim continua a oferecer bastante coisa tanto para principiantes quanto para desenvolvedores que já estão avançando mais na ferramenta.

Obrigado a todas que baixaram (espero que tenham aproveitado bastante) e mais ainda a todos os que enviaram sugestões, correções e agradecimentos.

Balanço cultural de maio

June 2nd, 2007 § 2 comments § permalink

Maio foi um mês em que eu quase não consegui ler ou fazer qualquer outra coisa. Entre a misteriosa mazela e o trabalho em níveis maiores que o normal, acabei não fazendo muita coisa. O resultado foi isso:

  • 2 livros
  • 5 filmes
  • 29 episódios de séries

O número de episódios de séries vistos foi maior porque vi a metade final da última temporada de Stargate SG-1 de uma só vez, como já comentei anteriormente aqui.

Nos livros, li Eifelheim, também comentado aqui e How to Build a Time Machine, um divertido comentário sobre as possibilidades físicas de viagens nos tempos por Paul Davies, um físico e conhecido autor de livros de disseminação científica.

Nos filmes, me diverti muito com a exageradérrimo Snakes on a Plane, me encantei com O Labirinto do Fauno, mas não me empolguei tanto com Diamante de Sangue que, apesar de mostrar um problema real e chocante, foi desnecessariamente exagerado.

Esse mês, se conseguir, espero ler um pouco mais. Vários livros na fila.

E61 e mobilidade

June 1st, 2007 § 7 comments § permalink

Já estou com o E61 há um mês e meio e estou bem satisfeito com o produto. Com exceção do problema com o cartão de memória (agora estou com um SanDisk de 1Gb depois que o segundo Corsair de 2GB deu problema–apesar do suporte da Nokia jurar de pé junto que deveria funciona), o celular é excelente.

Este texto está sendo escrito no meu notebook usando o E61 como modem em uma conexão EDGE ilimitada da Claro. No momento, estou conseguindo aproximadamente 100Kbps, o que incomoda para alguém que passa o dia toda a 4mbps, mas é mais do que suficiente para qualquer operação, inclusive downloads suficientemente grandes.

Com essa conexão, é possível navegar, ler e-mails e usar instant messaging sem mais do que um pouco de espera. Existem alguns probleminhas relacionados com configurações e o uso de um modem, coisa que está já quase esquecida por usuário de banda larga, mas nada misterioso.

Quando ao próprio E61, instalei relativamente poucos software, incluindo um cliente de instant messaging, uma aplicação para ouvir rádio via Internet, o indispensável Putty, Python, um cliente VoIP e outras filurinhas. O resultado é uma real plataforma de computação móvel que já me serviu muito bem em reuniões, quando em trânsito, para diversão e outras várias tarefas.

Obviamente, um smartphone não é uma solução para tudo, mas combinado a um computador portátil e a uma conexão ilimitada avança em muito o padrão do que é possível fazer fora da cobertura de uma rede tradicional.

Where am I?

You are currently viewing the archives for June, 2007 at Superfície Reflexiva.