Squeak e Smalltalk por exemplo

July 5th, 2007 § 10 comments

Para os que estão interessados em aprender mais sobre Smalltalk e a implementação aberta Squeak, topei ontem com esse excelente tutorial que demonstra a criação de um jogo em Smalltalk. O tutorial usa desenvolvimento baseado em testes, ensina como usar o depurador, como empacotar código e por aí vai. Vale uma conferida.

§ 10 Responses to Squeak e Smalltalk por exemplo"

  • Lorn says:

    Oi Ronaldo, parabéns pelo podcast :)
    Eu me animei para conhecer Smalltalk, particularmente Seaside mas preciso conhecer Smalltalk primeiro, e na pagina do propio Sweak achei esse livro em PDF, bem interessante:
    http://web.cecs.pdx.edu/~black/OOP/papers/SBE.pdf
    É um conceito de linguagem muito diferente, eles levam os objetos muito a serio 😛 hehe

  • Assim que tiver um tempo pretendo dar uma olhada no Small, agora é o Rails que ta na fila…. hehehe

    Abraço Ronaldo

  • Luiz Rocha says:

    Quanto mais eu avanço no Smalltalk by Example, mais eu respeito e pego gosto pela linguagem. Não é exagero dizer que eu só saquei realmente a idéia de OO com Smalltalk.

    Aliás, o conceito (básico) de que um objeto recebe mensagens pode ser facilmente extrapolado para explicar como e o que deveria ser um serviço (ou um recurso).

    Espero conseguir terminar 2007 com um mínimo de conhecimento sobre Smalltalk para poder estudar LISP em 2008. Se eu tiver o mesmo número de epifanias com LISP que eu estou tendo com Smalltalk, vai ser uma beleza! :-)

  • caffo says:

    Otimo tutorial..espero ter algum tempo para me aprofundar na linguagem. Obrigado pela dica 😉

  • Ronaldo says:

    Lorn, obrigado!

    O título do texto foi uma referência proposital a esse livro que, por sinal, é incrivelmente interessante e aplicável não somente a Smalltalk mas a todas linguagens similares.

    E eles realmente levam OOP a sério. :-)

    Aguinelo, vale a pena ir dando uma olhada mesmo. O Smalltalk foi uma das inspirações do Ruby e aprendê-lo é entender mais do Ruby.

    Luiz, é um caso sem volta mesmo. Depois que começou a coçar, não tem como parar. Eu tenho o que chamo um caso de amor com a linguagem. :-)

    Essa analogia que você usa inclusive é algo que está sendo aplicado de forma limitada pelo pessoal do Rails e eu tenho que concordar que o Ruby tenta, tenta, mas não chega nesses momentos. Mas, cada linguagem tem seus usos e não dá para criticar.

    Caffo, não tem de quê. Vale a pena se aprofundar em Smalltalk mesmo, principalmente com o Seaside agora. Só tome cuidado, depois que você for, você não volta. :-)

  • Luiz Rocha says:

    Mas, cada linguagem tem seus usos e não dá para criticar.

    Concordo. Um dos meus motivos pessoais (por assim dizer) para defender tanto a idéia de desacoplamento e interoperabilidade promovidos pelo modelo SOA e REST é justamente criar um ambiente em que se possa realmente usar a melhor linguagem (qual seja o critério utilizado para dizer qual) para se desenvolver algo.

    Isso seria muito interessante, se bem que traria alguns problemas à tira colo. :-)

  • Ronaldo says:

    Realmente vai depender do tipo de estratégia usado, considerando que “live objects” não transitam facilmente.

    Eu acredito que pelo menos os problemas iniciais estão sendo resolvidos com a popularização das linguagens dinâmicas–e, claro, com um tanto ou quanto de marketing de certos ditadores benevolentes. Não que isso seja tão ruim. :-)

  • Luiz Rocha says:

    Com certeza. É por isso que eu cada vez mais me convenço que o melhor modelo para esse tipo de coisa que depende do menor denominador comum.

    Agora, particularmente, não acho ruim a existência dos ditadores benevolentes. Os três ou quatro que me lembro de imediato fazem um ótimo trabalho. Não necessariamente concordo com eles em tudo, mas o fato é que eles ajudam a tecnologia a seguir em frente (quase) sempre se prostituir no meio. O que é bom.

  • Ronaldo says:

    Eu até que gosto dos ditadores benevolentes: a maioria dos projetos de código aberto estaria perdida ou não teria tanto sucesso sem eles. O problema é que alguns hoje estão trocando popularidade e opinião por prosseguimento naquilo que fez o projeto bem sucedido. Aí complica.

  • Luiz Rocha says:

    O problema é que alguns hoje estão trocando popularidade e opinião por prosseguimento naquilo que fez o projeto bem sucedido. Aí complica.

    Verdade. E acontece nas melhores familias. :-)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Squeak e Smalltalk por exemplo at Superfície Reflexiva.

meta