Aventuras e desventuras no Mac OS X

August 17th, 2007 § 12 comments

Esse é o primeiro texto que eu escrevo do Mac OS X. Passei o dia todo configurando a máquina e me acostumando com o sistema. A máquina já estava aqui há uma semana, mas esse foi o primeiro dia que eu pude parar e realmente dar atenção ao trabalho de criar um ambiente novo.

Estou gostando bastante do novo sistema, embora o choque com a mudança seja bem alto.

O primeiro choque foi o mouse com um único botão. É muito estranho tentar dar um clique-direito e não conseguir. Depois de algumas horas, entrentanto, um único botão parece bem natural.

O segundo choque, e bem negativo, foram as teclas. Além dos familiares CTRL e ALT, existe o CMD. Eu não entendi foi a razão de existir tanto CMD e CTRL se um poderia resolver o outro completamente. Aliás, essa parte de atalhos no Mac OS X é algo complicado. Existem comandos em que você precisa apertar quatro teclas de uma vez só. Isso é um exagero.

O terceiro choque foi a localização das coisas. Muita coisa é familiar (pelo fato do Mac OS X ser um Unix disfarçado) e muita coisa não é.

Apesar disso tudo, instalar aplicações é bem fácil e consegui configurar basicamente tudo o que preciso para um primeiro momento–incluindo o famoso TextMate, que até agora não me animou muito. Continuo preferindo o modo emacs-rails do Emacs que, infelizmente se recusa a funcionar direito.

Meu ambiente de desenvolvimento está quase configurado e agora é só uma questão de ir me acostumando as poucos. Vamos ver o que acontece. :-)

§ 12 Responses to Aventuras e desventuras no Mac OS X"

  • Eu queria ter esses problemas aqui! 😀 hehe

  • AkitaOnRails says:

    Bem vindo ao clube! Esse choque é normal, agora você ficará constantemente pensando “que droga, no [Windows|Linux] eu fazia do jeito X, agora eu só consigo do jeito Y”. Se você tirar o [Windows|Linux] da equação, a adaptação será mais simples.

    Exemplo: muita gente gosta de organizar aplicativos fora do “Program Files” no Windows. Não faça isso! O Mac tem pastas para diversas coisas padrão como Applications, Documents, Movies, etc. Use-as, sua vida será mais simples.

    Quanto to teclado, como a Apple diria: Quando você usa um Mac, você “perde control… mas ganha Command”.

    Sugiro instalar o excelente Quicksilver. Também a se disciplicar a usar o Journier (acho que já vem instalado). Mover toda sua multimídia para o pacote iLife (incluindo o iTunes!). Não use o MSN (use Adium, ele não tem video, eu sei). Não use Office 2004, use o novo iWork 08, para 90% das coisas que a maioria das pessoas usa, é o suficiente e funciona bem agora. O NeoOffice pode ser uma tentação, mas ele é tão feio que não dá gosto usar. Se quiser gravar screencasts pegue o iShowU.

    Use tudo padrão: o Mail.app, o iCal (junto com o Spanning Sync para sincronizar com o Google Calendar). Use MailTags no Mail.app. Instale o UNO para deixar a interface mais Leopard-like. Se você gosta de Twittar, use o Twitterrific. Conecte seu celular com o iSync.

    Instale o AppZapper como desinstalador (e aprenda para que serve a pasta Library no root e no seu home). Baixe o iBackup ou o SuperDuper e use seu HD externo melhor. Use o Chicken of the VNC se precisar de um cliente remoto. Compre o Transmit se quiser um bom SFTP client.

    E talvez o KisMAC seja útil quando precisar ‘usar’ redes wireless de terceiros. Para não bagunçar muito seu sistema com os velhos (./configure; make; sudo make install), instale o MacPorts e faça simplesmente port install ruby. (O Ruby do Tiger é a versão antiga 1.8.2). Baixe o MacTheRipper (o nome já diz tudo) e use em conjunto com o HandBrake (para gerar divx, mp4, etc). Instale o Flip4Mac para assistir os videos legados em codecs WMV. Use o Transmission como seu client de BitTorrent. Use o Disco como seu 2o gravador de DVD.

    Apague o Quicken que deve ter vindo junto, ele é muito ruim e nesse sentido eu não achei ainda um bom substituto ao Microsoft Money. Para isso serve tanto o Parallels Desktop quanto o novo VMWare Fusion. Qualquer um deles é bom. Apenas se precisar jogar use o Bootcamp, mas eu não recomendo (não gosto de particionar meu espaço), mas se precisar, particione logo: se você encher muito seu HD ele vai fragmentar e o Bootcamp não vai conseguir reparticionar depois.

    Não tente fazer o Mac se “parecer” com o [Windows|Linux]. Não é necessário. Da primeira vez fiz isso, ficou horrível, comecei do zero novamente e usei como deveria ser e a as coisas ficaram muito melhores.

    Sobre o Textmate, sugiro assistir o screencast do Peepcode sobre isso. Apenas abrindo e navegando não dá para entender o que ele pode lhe dar.

  • C.E. Lopes says:

    Acentuação não foi um problema?

    Eu, oriundo do Linux e Windows, logo achei o US International keyboard layout pro mac (http://www.brockerhoff.net/usi/index.html).

    Mouse com botão único me parece estranho. O Might Mouse da apple tem a cara de um botão mas pode ser configurado pra funcionar como dois (System Preferences > Keyboard and mouse). Já tem pelo menos ano e meio que a Apple não shipa mouses de um botão só…

    Essa cheat sheet pode ser útil até você se acostumar com os shortcuts: http://www.google.com/url?sa=t&ct=res&cd=1&url=http%3A%2F%2Fwww.multimedialab.be%2Fdoc%2Ftech%2Fdoc_osx_short_ref_guide.pdf&ei=ZU_GRpbQGJrogASo4Og-&usg=AFQjCNEZZcFO-ekaSRcYLfbunc96dTFB2w&sig2=2SEPv-EOMPfML7AxR9em9Q

    O velho PRINT-SCREEN ou ALT-PRINT-SCREEN do Windows é bem mais sofisticado no Mac… A cheat sheet acima fala em cmd-shift-4, mas eu uso mesmo o cmd-shift-ctrl-4, que coloca a imagem na memória ao invés de gravar um arquivo no desktop.

    Finalmente, isso pode ser útil pra você que gosta do Emacs: http://blog.invisible.ch/index.php?p=000417

    Abraços, precisando é só falar…

  • C.E. Lopes says:

    Ah… Eu sou um minimalista por natureza. Não uso o quicksilver. Uso o Namely…

    O namely é só um app launcher que, basicamente, me pemite apertar uma combinação de teclas que pops up um controle parecido com o spotlight. Eu começo a digitar o nome de uma aplicação e ele auto-completa. É a maneira mais rápida e simples de lançar uma aplicação sem ter de depender da dock (que eu abomino, coisa pessoal) ou de programas mais complicados que isso.

    Multiplos desktops!!! Antes do Leopard sair em outubro pra poder termos o spaces, eu uso o VirtueDesktops.

    É tanta coisa… Bom vou parar de falar. Se você pensar “eu queria poder fazer isso” e ficar empacado, dá um toque que eu tento ajudar. :-)

  • C.E. Lopes says:

    Argghhhh… Eu vou lembrando das coisas em pedaços… :-)

    A maneira mais fácil de instalar o Ruby On Rails sem se aborrecer com detalhes no mac, na minha opinião, é o Locomotive.

    http://locomotive.raaum.org/

  • Bem-vindo ao Mac. Estamos aí se precisar de ajuda… 😉

  • RodrigoSol says:

    Tambem tive o choque da falta do segundo botao… Inicialmente utilizava o ctrl + click, mas depois que eu descobri a opcao de utilizar dois dedos para simular o botao direito nunca mais usei o ctrl.

  • Depois que você usa um Mac, você realmente muda a visão de desenvolvimento, devido a forma minimalista e simples de como são no Mac OS. Macs simplesmente funcionam.

    Isso influencia no seu trabalho.
    Conforme o Akita falou, o Quiksilver é bacanão.

    Qual Mac você comprou?

  • Ah, ai em BH tem a Pronote, que importa Macs.
    Comprei o meu com eles. Fica a dica (mesmo atrasado rsrsrs)

  • pedro says:

    pff, só dicas inúteis.

    vou deixar a primeira dica realmente útil sobre seu mac: aperte ctrl+opt+cmd+8

    bonus: ctrl+mouse scrolling

    😀

  • Marco Gomes says:

    Sua vida vai ser outra quando você tiver um Dashboard com um widget de Terminal.

  • Ronaldo says:

    Daniel, ncrivelmente, o teclado está se provando mais difícil de domar do que eu imaginava. :-)

    Akita, muito obrigado pelas dicas. Se provaram essenciais nesse meu começo de uso do Mac. O Quicksilver está virando quase uma segunda natureza no momento e os outros programas estão quebrando um galho.

    Eu reinstalei o sistema todo para sentir como seria e fiquei até despontado por não ter muitas opções de customização. Mas para isso tem o Windows, não é. :-)

    Lopes, eu gostei do Quicksilver. :-) Acaba que o Dock fica lá só para enfeitar mesmo, minimizado. Nem vi ainda se tem como remover, mas esse pode ser o caminho.

    Agora, múltiplos desktops é uma coisa mais rara para mim. Não uso muito nem no Linux. Tabs do shell são a coisa mais próxima disso. :-)

    Instalei pelo MacPorts. O Locomotive é o InstantRails para o Mac e eu tenho pavor deste último. :-)

    O US Layout foi a primeira coisa que eu baixei. Eu conheco o Rainer Brockerhoff pessoalmente e tenho o blog dele nas minhas listas há vários anos já. :-)

    Eu ainda estou me ambientando e vai demorar um pouco para comprar periféricos, principalmente com os preços atuais. O mouse de um botão é estranho, mas a memória muscular vem rápido também. O teclado é que está dando problema para minhas mãos enormes.

    Não consegui abrir os seus links. Tem outros? Sobre o Emacs, estou usando o Carbon Emacs que preferi ao Aquamacs que é muito, bem, Mac.

    Ah, se precisar de ajuda, eu grito.

    Rodrigo, pois é. Não demora muito para acostumar. O teclado é pior. :-)

    Leonardo, comprei o MacBook 13″, o mais simples. O dinheiro só deu para isso. :-)

    Pedro, essa primeira dica foi do caramba. Inútil, mas do caramba. :-)

    Marco, qual você usa? O que baixei não serviu direito dada minha tendência de sempre usar exit ao final de qualquer tarefa. :-)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Aventuras e desventuras no Mac OS X at Superfície Reflexiva.

meta