O ano de viver em perigo

January 24th, 2008 § 8 comments

Depois de pensar um pouco e fazer algumas comparações pouco científicas, decidi que esse ano vou me dedicar a aprender Lisp de maneira decente. Lisp é uma linguagem que sempre foi do meu agrado e cheguei a dedicar um pouco mais de tempo a ela na forma de Emacs Lisp. E, como o Luiz me lembrou, se eu quero aprender uma linguagem funcional e ao mesmo tempo experimentar mais a fundo com meta-programação, Lisp é a linguagem ideal.

Io me deixou bastante tentado. Quando mais eu lia sobre essa minúscula linguagem, mais interessante me parecia. Só perdeu para o Lisp porque eu realmente quero pode falar com mais consistência sobre uma linguagem que já admiro há muito. Haskell é outra que sempre me atraiu bastante, mas eu vou poder experimentar com bastante coisa similar trabalhando com Lisp.

Uma outra vantagem enorme de Lisp é que meu editor favorito, o Emacs, possui um tremendo suporte para a mesma na forma do Slime, o Superior Lisp Interaction Mode for Emacs. Além de suportar basicamente todas implementações Lisp em uso atualmente, o Slime é o melhor REPL com o qual experimentei.

Alias, o SLIME é quase um IDE psíquico, capaz de adivinhar o que você está querendo enquanto você escreve. Além das funções normais de edição, compilação e execução, a parte de documentação e de ajuda à definição é muito boa. Eu gosto especialmente da parte de fuzzy completion que permite que você digite parte de um comando qualquer e ele sugira as escolhas prováveis.

Meu ambiente, resumido, é o seguinte:

  • Emacs (Carbon Emacs)
  • SBCL e CLISP, que são minhas implementações favoritas
  • Slime, é claro
  • Hyperspec instalado localmente e integrado ao Slime

E como material de apoio:

Agora é só meter a mão na massa. UCW é um dos próximos passos.

§ 8 Responses to O ano de viver em perigo"

  • semente says:

    Este ano eu vou estudar é Emacs Lisp, talvez eu engrene com Lisp também! 😛

    Não gosta de Scheme não?

  • Ronaldo says:

    Eu comecei a brincar com Scheme quando estava vendo os vídeos do SICP mas acabei parando quando não tive mais tempo de assistir as aulas. E como Scheme é um dialeto de Lisp, acho que estudando uma dá para ter uma boa noção da outra.

  • agaelebe says:

    Minha dúvida é,

    Vale a pena aprender emacs?
    Ouço tanto falar sobre ele… Mas parece que pra você ficar produtivo em emacs leva um bom tempo.
    Ainda não escolhi entre emacs e vim, se é que um dia vou aprender um dos dois.

    :) Talvez seja interessante aprender LISP pra entender melhor linguages funcionais e metaprogramação. Além disso sou fã do Paul Graham! hehe

  • Ronaldo says:

    A curva de aprendizado do emacs é realmente alta. Mas eu acho que compensa bastante porque quando você começa a se acustomar com o ambiente, sua produtividade cresce exponencialmente. Só a enorme quantidade de modes que ele possui já bate basicamente qualquer coisa que existe na praça. É quase um sistema operacional. O modo Rails do mesmo bota qualquer outra na praça para correr, por exemplo.

    Dito isso, entre vim e emacs, acho que é mais uma questão de gosto. Se você prefere modal, vim; se não, emacs. O poder de ambos, para 95% dos usuários, é mais do que suficiente.

    Quanto ao emacs lisp, é um dialeto limitado e específico do Lisp. Se você vai aprender Lisp, provavelmente é melhor aprender em uma implementação completa.

  • Como material de apoio, sugiro também a lista do http://wiki.lisp-br.org/

    Eu comecei a brincar com Lisp mas, depois de conhecer mais o Paul Graham, larguei de mão. :-)

  • Ronaldo says:

    Eu já andei dando minhas olhadas no Wiki. Tem um bom material lá mesmo. Sobre o Paul Graham, ele é mais um zelote como os vários outros que estão se multiplicando hoje. Acho que a linguagem vai sobreviver muito bem sem ele. Eu até lia o que ele escrevia em seu blog, mas também parei depois que ele andou falando umas bobagens sobre orientação a objetos.

  • Elissandro Mendes says:

    Ronaldo,

    Daria pra citar os post em que o Graham fala as bobagens que voce citou ?

    Abraços.

  • Ronaldo says:

    Procure no meu blog pelo nome dele:
    http://logbr.reflectivesurface.com/index.php?s=graham

    Eu escrevi algumas vezes sobre o assunto, com referências.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading O ano de viver em perigo at Superfície Reflexiva.

meta