Arquivos de volta…

August 28th, 2008 § 2 comments § permalink

Se você está vendo esta entrada é porque já está vendo o blog no DNS novo com todos os textos antigos restaurados. Qualquer problema na visualização de arquivos ou qualquer outra coisa do site, fico grato.

Ah, antes que eu me esqueça: Sérgio, você já pode atualizar o <span class=”foreign-word lang=”en”>link que estava fora do ar. :-)

Fim do Pão de Cast

August 25th, 2008 § 22 comments § permalink

Infelizmente, por comum acordo, o Pão de Cast não terá mais edições em um futuro próximo. Problemas de agendamento e compromissos dos participantes tornaram os encontros um pouco complicados. E como a premissa era algo bem descompromissado, não achamos que seria tão interessante continuar de uma maneira mais forçada.

Eu, especialmente, peço desculpas pelas promessas que fiz de que um episódio estava próximo. Eu realmente achava que conseguiríamos prosseguir mas não foi possível.

Obrigado a todos que apoiaram e nos mandaram e-mails pedindo novos episódios. Vocês são, é claro, o máximo. Quem sabe em um futuro próximo voltemos com um formato difererente? No mais, como sempre, divirtam-se. :)

Balanço cultural de julho

August 22nd, 2008 § 1 comment § permalink

Julho foi um mês um pouco mais tranqüilo em termos de leitura e deu para manter a média dos meses anteriores. No balanço, o mês ficou assim:

  • 5 livros
  • 5 filmes

Nos livros, comecei o mês com uma releitura de Mordant’s Need, um série de fantasia em dois volumes por Stephen R. Donaldson que, como leitores regulares do blog sabem, é um dos meus autores favoritos. Esses são dois de meus livros de fantasia favoritos, não só pela maestria na escrita quando pela uso imaginativo de novas formas de mágica e pelas voltas e reviravoltas no que de outra forma seria uma estória comum. Lidando profundamente com o tema do que é realidade, também não é um livro que se preocupa somente com uma estória fantástica a ser contada mas também com reflexões sobre a natureza do que somos. Como qualquer coisa do Donaldson, mais do que recomendado.

O mês continuou com Flash, o primeiro livro por L. E. Modesitt que eu leio. O livro se passa em um futuro suficientemente distante para que o mundo tenha passado por várias transformações significativas—como o fim dos EUA e o nascimento de uma nova nação englobando toda a América do Norte, o surgimento e banimento de inteligências artificiais, e a chegada de uma economia de quase pós-escassez onde mega-corporações disputam o mercado através do uso cuidadoso de propagando ultra-localizada—e conta a estória de Jonat deVrai, um ex-militar que saiu dos Marines por não mais concordar com o uso de forças militares por parte de corporações em detrimento do povo e que agora vive com um consultor de prod-placement. Ao aceitar um contrato de consultoria pouco usual, deVrai se vê jogado no meio de uma conspiração e precisa usar suas antigas habilidades para se proteger e descobrir como sair da situação em que se encontra—contando com aliados interessantes. Boa estória que não chega a alcançar grande profundidade mas diverte mesmo assim.

Depois foi a vez de A Journey in Grace, por Richard Belcher. O livro é uma crônica ficcional da juventude de uma pastor narrando o período em que ele se defrontou e aceitou o Calvinimo como sua visão teológica. Em paralelo com essa descrição, o livro apresenta a vida do pastor como um contraponto aos excessos possíveis do Hipercalvisnismo e Arminianismo. Esse contraponto, eu confesso, foi bem mais interessante do que a parte teológica que, como na maioria dos livros sobre Calvinismo, sofre de pouca análise e de uma recorrência a argumentos circulares. Vale a pena como discussão, mas deixará leitores mais avançados pouco satisfeitos.

Para fechar o mês, li Darkness of the Light, por Peter David. Eu gosto muito dos livros de David e esse não desaponta, embora, sendo o primeiro de uma série, termina abrupto demais para ser competamente satisfatório. O livro se passa em uma Terra futura em que a humanidade foi derrotada por doze raças exiladas que são nada mais do que monstros lendários que teria sido banidos em várias “ondas” para a Terra tendo finalmente ganho a batalha em algum ponto futuro. O livro narra as estórias diversas de vários grupos em um momento em que a sorte da humanidade está para mudar. Interessante, mas preciso ver o próximo livro para ver se vale a pena continuar.

Nos filmes, esse foi o mês do delicioso WALL-E. Como o filme foi analisado à exaustão, eu só vou dizer que curti cada segundo do filme e me emocionei como milhares de outras pessoas com as aventuras e desventuras do pequeno robô. Definitivamente um que vai para a coleção permanente.

Seguindo, vi Beowful que achei muito fraco a despeito de todo o hype sobre a fotografia do mesmo. A estória diverge demais para agradar quem conhece a lenda e não chega a empolgar em qualquer momento.

Hancock, que vi na seqüência, começou muito bem e acabou muito mal. O filme poderia ter sido perfeito sem toda a confusão romântica feita para agradar o público “médio”. Teria, eu tenho certeza, sido antológico. Mas, optou-se pela saída mais fácil e embora o filme agrade pela subversão do papel do herói, a segunda metade deixa um gosto amargo na boca.

O último destaque do mês foi Kung Fu Panda que também valeu cada segundo. Uma estória muito divertida, rica em referências e com sacadas geniais para o fim do filme.

No próximo mês, muitos filmes e poucos livros.

Squeak by Example: O Retorno

August 10th, 2008 § 8 comments § permalink

Depois de deixar o projeto de lado um tempo por causa das outras responsabilidades, estou de volta. Completei mais um capítulo e segundo a nossa planilha de tradução não estamos muito longe de finalizar os capítulos que restam.

Aos interessados, ainda há tempo de ajudar com traduções e revisões. Embora a página do projeto do Gitorious por algum motivo não reflita isso, o meu repositório contém todas atualizações feitas até o momento. Basta cloná-lo e ajudar nas traduções e revisões.

Guerras paralelas no ciberespaço

August 10th, 2008 § 1 comment § permalink

Na esteira da guerra entre Rússia/Geórgia, um lado aparece com pouco ou nenhum destaque nos jornais internacionais: a guerra paralela pelo controle do ciberespaço entre os países.

No momento, a infra-estrutura de Internet da Geórgia está sobpesado ataque pela RBN, com essencialmente todos os roteadores de entrada/saída do país sob controle externo. Para mais informações sobre a RBN, veja a Wikipedia.

Para quem leu Spook Country recentemente, os ecos são–no mínimo–prescientes.

Deve-se notar que, pelas informações técnicas divulgadas, os ataques ainda são relativamente mínimos, mais no nível de controle de propaganda do que de qualquer outra coisa. Obviamente, como qualquer outro tipo de técnica de guerra, não deve demorar muito até que esse tipo de coisa não seja só comum como também de uma sofisticação enorme. E, é claro, esse tipo de ataque não será restrito a organizações de poderio militar mas disponível a qualquer um com banda e habilidade suficiente para encontrar vulnerabilidades em instalações de outros.

Isso é o real século 21.

Sinatra

August 8th, 2008 § 4 comments § permalink

Estou brincando com o Sinatra esses dias. É um micro-framework/DSL para desenvolvimento Web.

É tão simples que basta instalar uma gem, criar um pequeno arquivo com a definição do que uma URL REST faz, rodar o próprio arquivo e pronto: você tem um servidor Web rodando e respondendo a requisições sem dependências e frescuras. Um exemplo:

require "rubygems"
require "sinatra"

get "/" do
 "Hello, World!"
end

Em um mundo de frameworks cada vez mais complexos, o Sinatra é uma ferramenta bem útil que vale a pena conferir.

Where am I?

You are currently viewing the archives for August, 2008 at Superfície Reflexiva.