Agile para sua diversão e lucro

December 12th, 2008 § 11 comments

Meu irmão, como já citei outras vezes aqui, tem uma pequena operação em Belo Horizonte prestando serviços em software livre para empresas no Brasil e nos Estados Unidos. Atualmente, a maior parte do trabalho é em Rails e estamos sempre conversando sobre como melhorar e aumentar a eficiência do que ele e o pessoal que trabalha lá estão fazendo.

Recentemente ele me visitou na WebCo e ficou bem curioso ao ver as dezenas de post-its colados nas várias janelas representando os diversos projetos da empresa. Expliquei um pouco de Agile–usávamos várias técnicas agéis quando eu ainda estava na empresa–mas Scrum era uma coisa que eu ainda não tinha comentado com ele.

Depois que ele voltou para Belo Horizonte, ele me ligou pedindo que eu explicasse um pouco mais sobre os tais dos sprints. Explique mais um pouco e sugeri que ele experimentasse mesmo com a equipe pequena.

Mais algum tempo passou e em mais uma de nossas conversas ele me explicou com tinha adaptado o que eu estava falando para a realidade de sua empresa:

Com R$126 ele comprou um quadro, alfinetes, post-its coloridos, canetas e marcou as tarefas de vários projetos com cores diferentes para identificar os mesmos. Mesmo tarefas administrativas da empresa foram colorizadas e colocadas no quadro. Ele também separou o progresso das mesmas em “a fazer”, “em progressos” e “feitas”, como no Scrum, mas sem a formalização de daily meetings.

Como isso, ele começou a poupar uma quantidade enorme de trabalho de gerenciamento e acompanhamento de tarefas ao mesmo tempo em que dava maior visibilidade a todos da empresa sobre o que estava acontecendo. Eventualmente, o quadro também se tornou uma reflexão do sistema Trac que ele usa para controle de tickets aumentando ainda mais a produtividade da equipe.

Para alguns puristas, a adaptação que ele fez seria considerada tão longe do Scrum quando um processo waterfall. Esse é o ponto que a maioria das pessoas perde sobre Agile:

Agilidade não tem absolutamente nada a ver com formalização. Assim como waterfall funciona para determinados tipos de processo–existem milhares de casos de extremo sucesso usando a filosofia–agilidade só funciona quando a idéia em si é comprada e adaptada à realidade específica dos processos necessários.

No caso do meu irmão, daily meetings com formalizados no Scrum não tem o menor sentido com a equipe pequena e geograficamente distribuída. Aplicar todos os parâmetros que o Scrum oferece teria o efeito contrário de reduzir sua produtividade.

Antes de tudo vem o lúdico, a diversão. E isso leva tão facilmente ao lucro que é impressionante pensar no número de pessoas enganadas quanto à história toda. Mas eu me divirto e sempre sou lembrado de pensar diferente quando vejo adaptações como a feita pelo meio irmão que funciona e resulta em efeitos permanentes positivos. Melhor do que isso é difícil.

Tagged

§ 11 Responses to Agile para sua diversão e lucro"

  • Pequeno erro: “Como R$126 ele comprou um quadro” acho que seria “Com R$126 ele comprou um quadro”

  • Rafael says:

    ótima colocação!

    desde que eu comecei a estudar desenvolvimento ágil percebi que as pessoas tendiam a levar o processo como uma religião. isso deixa as coisas chatas.

    ainda não tive a oportunidade de trabalhar em um processo ágil, mas quando tiver não quero que seja chato.

  • Ronaldo says:

    Opa! Pois é, depois nego fica todo de #mimimi dizendo que não funciona. Não funciona mesmo com nego tentando seguir tudo como se fosse uma cartilhazinha. :)

  • Já estou algum tempo nessa área, não tanto como meu irmão, mas o suficiente. Uma das coisas que aprendi é que você pega ideias pronta por outras pessoas e não aplica 100% a sua realidade, pois a realidade que ela foi criar nunca será idêntica a sua. Por mais que fazemos as coisas pensando em alcançar o máximo de possibilidades possíveis não pegamos todas: a prova disso são as grandes mudanças que acontecem em linguagens de código livre. Isso ocorre por vários motivos, mas com certeza um deles é porque eles estão encontrando outras possibilidades de aplicá-las, da mesma forma fiz aqui. Quem sabe um nova moda para pequenas empresas. 😀

  • TaQ says:

    Lembra uma vez que comentei contigo que ia tentar adaptar um lance do tipo Scrum para equipes minúsculas? Teu irmão chegou na frente. :-)

  • Ronaldo says:

    Pois é. Agora só falta ele virar consultor. :-)

  • Nem precisa de equipe para organizar as coisas como seu irmão. Até mesmo em meus trabalhos como freelancer eu organizo as coisas dessa forma, é muito bom ter esta representação visual da organização do serviço.

  • Luiz Rocha says:

    Essa é a diferença entre quem pensa por conta própria e quem terceiriza suas atividades intelectuais para artigos em blogs e “sumidades” no assunto.

    Nada contra processos que foram pensados e estruturados em “cartilhas”. Eles só não podem ser o objetivo final de uma equipe e sim seu ponto de partida.

    Mas enfim, questionar e fazer diferente do que os “leading experts”, agüentando criticas e correndo riscos de errar não é para os fracos de coração.

  • Ronaldo says:

    Opa, Guilherme, verdade. Eu conheço gente que usa variações de Agile até para organizar a vida pessoal. Se não exagerar, funciona muito bem.

    Luiz, única coisa a dizer é que concordo em gênero, número e grau. O resto fica escrevendo sobre o declínio e queda do Agile. :)

  • É realmente impressionante o ganho que estas medidas simples e baratas refletem aos projetos e a empresa como um todo, eu como sou preguiçoso e não gosto de escrever estou pensando em desenvolver um SCRUM ToDo digital… heheheh

  • Ronaldo says:

    Então, o grande efeito dos post-its, etc, é justamente criar esse efeito lúdico que deixa tudo visível. Já existem ferramentas online para SCRUM mas não valem a pena até você ter o processo. Elas só escondem o processo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Agile para sua diversão e lucro at Superfície Reflexiva.

meta