Zarpar

September 29th, 2012 § 0 comments

Sentei-me à margem
De um belo e límpido rio–
Na pele, uma doce brisa.
E me perguntei:
Do que eu preciso?

Olhei ao longo do rio,
E não vi o outro lado,
Oculto por chuva e névoa.
E me perguntei:
O que quero levar?

De madeira fiz uma jangada,
Para o rio atravessar–
Só uma trouxa trouxe comigo.
E me perguntei:
Para onde estou indo?

Para o outro lado zarpei,
Esperando um dia chegar;
No ar, o cheiro de um novo dia.
E me perguntei:
O que vou encontrar?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

What's this?

You are currently reading Zarpar at Superfície Reflexiva.

meta