Plantão Médico

October 22nd, 2006 § 2 comments § permalink

Você sabe, ir para no hospital com dor abdominal que começou quando você estava assistindo um episódio particularmente gástrico de Plantão Médico não é uma maneira interessante de terminar o fim de seman. Oh, well. :-)

Jornada nas Estrelas: A Série Original

March 18th, 2006 § 9 comments § permalink

Esses dias estou assistindo Jornadas nas Estrelas: A Série Original em DVD. Comprei as caixas assim que saíram aqui no Brasil, mas não tinha visto mais do que uns poucos episódios até o momento. Acho que era um pouco medo de me decepcionar — afinal de contas, a série é realmente bem datada.

Eu me lembro de, adolescente, ficar acordado até altas horas da madrugada esperando que algum episódio passasse da Rede Record. Caindo de sono, lavando o rosto para conseguir manter os olhos abertos, eu esperava ansioso, sempre com medo de que o programa fosse removido da grade naquele dia porque outro demorara demais para acabar. E sempre ficava decepcionado quando, depois de esperar duas ou três horas, ia dormir sem ver Kirk e companhia vencendo mais uma batalha.

Eu até me espanto ao lembrar do sense of wonder que a série me causava na época. Hoje, vendo os episódios, é engraçado e fascinante ver como os produtos conseguiam fazer tanto com tão pouco. Há episódios em que dá vergonha ver as técnicas usadas para alcançar algum efeito especial. A ciência é bem babélica, misturando realidade e pseudo-teorias, mas funciona até bem.

Mas o que mais me interessava quando eu era mais novo, e o que mais me interessa ainda, é ver como a série quebrava barreiras — aos trancos e barrancos, às vezes, mas quebrando. Robert J. Saywer, na introdução de seu recente Boarding the Enterprise, escreve o seguinte:

“As William Marshall, who played cyberneticist Dr. Richard Daystrom in the episode ‘The Ultimate Computer’ (Season 2, Episode 24), said in an interview shortly before he passed away, it’s impossible to overstate the impact it had in the 1960s when white Captain Kirk referred to the black Daystrom as ‘Sir.’ Was it any surprise, two decades later, that NASA hired Nichelle Nichols, who played Lt. Uhura, to help recruit the first minority astronauts? Star Trek gave us an appealing vision of a tolerant future that included everyone.”
Sem dúvida, esse é a maior mérito da série. E é isso que continua a fazer da série algo interessante o bastante para ser vista quarenta anos depois de sua criação, a despeito das fantasias esdrúxulas, dos cenários de isopor pintado, e do modo comicamente exagerado de interpretação: o fato de que ela falava e ainda fala sobre a condição humana essencial, algo que nunca vai ficar data e que sempre vai ser necessário.

Não fazer a barba faz mal para a saúde

February 7th, 2003 § 2 comments § permalink

Aqueles que detestam fazer barba devem começar a ter mais cuidado. Uma equipe da Universidade de Bristol determinou que homens que não fazem a barba regularmente são mais propensos a problemas de saúde:

Os homens que não se barbeiam diariamente têm menos prazer sexual e são 70 por cento mais propensos a sofrer um derrame cerebral que aqueles que fazem a barba todos os dias, revelou um novo estudo.

Será que cavanhaque conta como fazer a barba?

Falando sério, como um colega disse, essa parece mais uma afirmação do tipo: Todo mundo que bebe água morre. As explicações dos cientistas que fizeram o estudo não são nem um pouco convincentes.

Mais um fiasco do Bush

January 23rd, 2003 § Comments Off on Mais um fiasco do Bush § permalink

Mais um fiasco envolvendo o Walking Bush, digo, presidente Bush. Acontece que o digno presidente foi fazer um discurso sobre seus planos econômicos em um depósito em St. Louis. Durante o discurso era possível ver várias caixas atrás da plataforma onde ele se encontrava com a inscrição ‘Made in USA’ estampada nas mesmas. O problema: as caixas haviam sido feitas na China. Alguém cobrira a inscrição ‘Made in China’ anterior e escrevera a nova inscrição por cima. Teria passado se caixas na lateral da plataforma não tivessem entregado o ouro. Esse presidente é uma tragédia ambulante.

Skydriving

January 21st, 2003 § Comments Off on Skydriving § permalink

Tem louco prá tudo nesse mundo. Veja se isso é possível: skydiving com carros. Custa cerca de 15 mil dólares por vez, e obviamente o carro é inutilizado. Tudo com a maior segurança.

Cuidados na área profissional

January 15th, 2003 § Comments Off on Cuidados na área profissional § permalink

O SD Times tem um artigo interessante sobre como não tratar um ex-cliente.

Eu já vi coisas similares ao que o artigo descreve acontecerem e realmente é algo que pode arruinar a carreira de uma pessoa. Relações profissionais são isso, profissionais. A influência da vida pessoal no trabalho deve ser cuidadosamente limitada. Todo cuidado é pouco para manter algo tão precioso como a sua empregabilidade (afinal de contas, sua vida depende disso).

Um cuidado ainda maior é preciso hoje dada a possibilidade de pesquisas na Web revelarem coisas que você nem mesmo sabia que existiam. (Por exemplo, outro dia em topei com uma página na Internet que me listava como contato de uma empresa que comecei há mais de seis anos atrás. A empresa nem existe mais, mas a referência é parte dos imensos bancos de dado do Google. Não é nada comprometedor, mas dá até calafrios saber que muito da sua vida pode estar indexado à disposição do mundo).

Fedorentos descem na próxima parada

January 13th, 2003 § 2 comments § permalink

Uma cidade norte-americana baniu pessoas fedorentas, digo, exalando odores desagradáveis dos ônibus que circulam na mesma. Segundo os proponentes da lei, esta visa tornar a experiência de andar de ônibus agradável e segura. Uma outra lei já existia proibindo que as pessoas emitissem “odores altamente questionáveis” de seus corpos.

A lei é boa. Deviam instituir em todos as cidades do planeta :)

Esmola virtual

December 16th, 2002 § 3 comments § permalink

É mole!? Tem gente se enchendo de dívidas e usando a Internet para recolher esmolas, segundo um artigo da CNN Brasil.

Autista?

November 21st, 2002 § 1 comment § permalink

The Globe and Mail: "Is there a ‘geek’ syndrome?" Um artigo interessante que discute uma teoria controversial sobre o aumento de casos de autismo, especialmente em lugares onde há uma grande concentração de tecnologia.

Há um teste na página para determinar onde uma pessoa de encontra no espectro do autismo. Um resultado normal seria por volta de 16. Pessoas que trabalham com computação tirariam em média 21. Um resultado de 32 indicaria autismo, e 34 seria um “extremo”.

Eu não tenho pais que trabalham com tecnologia, não vivo no Vale do Silício e tirei 34…

(via Realm of the Dark Elf, que tirou 38)

Descultura americana

November 21st, 2002 § Comments Off on Descultura americana § permalink

Uma pesquisa da National Geographic Society revelou que somente 13% dos americanos entre 18 e 24 anos, a idade ideal para soldados, sabem onde fica o Iraque. E pior, 11% dos pesquisados não sabem onde fica o próprio país e outros 30% não sabem onde fica o Oceano Pacífico. É de lascar.

Where Am I?

You are currently browsing the Comportamento category at Superfície Reflexiva.