Depurando o indepurável

January 23rd, 2007 § 7 comments § permalink

Hoje foi um daqueles dias em que oito horas se passam sem que se faça o mínimo progresso na detecção de um erro elusivo em uma aplicação que deveria estar funcionando perfeitamente–ou pelo menos, tão perto da perfeição quando possível.

Depuração de aplicação Web é um caso sempre complicado. Quando múltiplos sistemas, bancos de dados, e ambientes de instalação estão envolvidos, então, nem se fala.

Esse projeto em particular usa um driver do Informix que parece que se comportar de maneira diferente de computador para computador. No final do dia, a única certeza que eu tinha era que o problema que estava acontecendo no servidor de homologação não acontecia de forma alguma na minha máquina de desenvolvimento. O trabalho amanhã é descobrir qual é diferença crucial que está causando isso porque o resto parece estar idêntico, para todos os propósitos práticos.

Há horas em que dá realmente vontade de jogar o desenvolvimento para o alto e procurar uma atividade mais fácil como, por exemplo, cortar grama. Se desse o mesmo dinheiro, eu pegava. E de quebra, ainda ganhava alguns músculos.

Ion3 & Conkeror

January 5th, 2007 § 2 comments § permalink

Depois que passei a realmente usar o Emacs com meu editor primário, fiquei tão mal acostumado com a facilidade de efetuar ações através da mera combinação de teclas que acabo tentando usar a mesma coisa em todos programas. Infelizmente, é óbvio que, com algumas exceções geradas mais por coincidência do que propósito, as tentativas falham miseravelmente.

Recentemente, comecei a experimentar com duas opções para maximizar a “experiência” Emacs no meu uso diário do computador.

A primeira opção é o uso do Ion3 como gerenciador primário de janelas do Ubuntu. O Ion3 é um gerenciador minimalista, com uma forte ênfase no uso de teclado para acesso à interface e programas. O mais interessante do Ion3 é o modo como a interface pode ser dividida em áreas contendo programas diferentes com fácil acesso por teclas de atalho. Realmente, só vendo as capturas de tela na página do projeto para entender. Um dos recursos que eu estou gostando muito é a capacidade de colocar um programa em tela cheia, sem menus, bordas ou outras firulas. Muito produtivo. As desvantagens óbvias vêm da pouca maturidade da versão atual do gerenciador, que tornam algumas tarefas mais complicadas.

A segunda opção foi o uso do Conkeror, uma extensão para o Mozilla que modifica completamente a interface deste último para simular as facilidade presentes do Emacs.

A experiência tem sido relativamente positiva, embora eu poderia passar muito bem sem alguns dos detalhes presentes em ambas as aplicações. Felizmente, as duas são customizáveis e eu estou experimentando com essas customizações para verificar se realmente é uma opção viável trabalhar tanto com o Ion3 como com o Conkeror.

Talvez, na verdade, o uso dessas duas opções seja pior ainda. Depois que uma memória muscular é construída sobre o uso de facilidade, mudar de computador é algo ainda mais complicado. Quando eu estou usando o Windows, há momentos em que eu fico realmente confuso porque alguma seqüência de comandos não funciona–até lembrar onde estou.

Se alguém conhece algum outro gerenciador ou extensão com propósitos similares, estou aberto a sugestões.

Semana múrfica

March 15th, 2006 § 12 comments § permalink

Essa semana foi mesmo do Murphy. Considerando que o cara era engenheiro, não é de se espantar que ele decida fazer suas traquinagens nas áreas onde as máquinas e seres humanos colidem.

Para começar, eu consegui deletar o diretório home do usuário root do meu servidor. Coincidentemente, era o único dos diretório importantes que eu não fazia backup — irônico, considerando o backup escrupuloso da partição home que hospeda todos outros usuários. Para piorar a situação, o diretório tinha três scripts super-importantes que eu tive que refazer de cabeça. Pelo menos deu para otimizar dois deles.

Depois, fiz um upgrade do MySQL no servidor da versão 4.0 para 4.1. Correu tudo bem, exceto por um ponto que eu só fui descobrir três dias depois. O servidor de e-mail tem todas suas configurações guardadas em um banco. Com a mudança, o serviço caiu e não voltou — até que eu recebesse uma ligação (semi-)irada de um cliente. Sem verificar meus próprios e-mails no fim de semana, não percebi o problema. Tudo resolvido com um reinício.

Por fim, hoje, depois de programar por quase seis horas, sobrescrevo tudo o que estou fazendo com um comando inadivertido. No único projeto que eu tenho que não está sob controle de versão.

Murphy resolveu baixar em mim, só pode.

Peão

January 13th, 2003 § 2 comments § permalink

Aqui no trabalho, terminei um projeto no qual vinha trabalhando há algum tempo. Como estou “disponível”, agora é hora de receber todos aqueles trabalhos chatos, cansativos e repetitivos que ninguém quer fazer. Vida de peão é dura.

Where Am I?

You are currently browsing the Trabalho category at Superfície Reflexiva.